Pular para o conteúdo principal

Voz da Amazônia: a condição das mulheres no Amapá

Aldinéia Machado Gomes, membro do Fórum de Mulheres do Mercosul Brasil no Amapá
Aldinéia Machado Gomes, membro do Fórum de Mulheres do Mercosul Brasil no Amapá
Aldinéia Gomes relata à Voz da Amazônia a condição das mulheres no estado do Amapá: abandono, invisibilidade, tráfico humano para fins de prostituição e violência.
 
Cristiane Murray - Cidade do Vaticano
Projeto Voz da Amazônia escuta as lideranças dos povos da floresta sobre suas lutas ,e os desafios de suas comunidades, suas resistências, suas conquistas e suas esperanças. Hoje vamos ao Amapá.
“ Abandono. Invisibilidade. Tráfico humano. Violência. Prostituição. Ausência de políticas públicas ”
Essas são palavras pronunciadas por Aldinéia Machado Gomes, membro do Fórum de Mulheres do Mercosul Brasil no Amapá, que a reportagem do Projeto encontrou.
O que angustia Aldinéia é que o abandono, a invisibilidade, o tráfico humano para fins de prostituição e a violência, consequências da ausência de políticas públicas, são a realidade e a condição de vida de um significativo número de mulheres no interior da Amazônia brasileira. E quando chegam os grandes projetos a serem implementados na região, o drama se torna ainda maior.
Segundo Aldinéia, a ausência de políticas públicas voltadas para a mulher dificulta a garantia de direitos e enfraquece as lutas das mulheres no estado. Ela conta que, com os grandes projetos, a prostituição e o tráfico de mulheres para fins de exploração sexual, que já não eram novidade naquela região, se agravaram.
Para aprofundar esse tema, sugerimos o pertinente texto da Doutora em Sociedade e Cultura na Amazônia, Marcia Oliveira: “Tráfico de Mulheres na Amazônia: resquícios do colonialismo”.
A equipe do Voz da Amazônia é formada pela Irmã Osnilda Lima, assessora de imprensa da REPAM-Brasil, o documentarista da Verbo Filmes, Gaspar Guimarães e Paulo Airton Maia, fotógrafo do Instituto Humanitas da Unicap.  

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE 2016.06.08