Pular para o conteúdo principal

Academia de Letras volta a criticar falta de literatura na Educação em MS

Sede da ASL na Capital
Sede da ASL na Capital
A retirada da cadeira de literatura da grade escolar em Mato Grosso do Sul voltou a ser criticada, na Capital, na posse do novo imortal da Academia Sul-Mato-Grossense de Letras (ASL), Oswaldo Barbosa de Almeida, em solenidade realizada na sede da entidade na noite de sexta-feira (23). O novo imortal da ASL, que passa a ocupar a cadeira de número 3, é natural de Coxim, autor de livros de crônicas e contos, e também colaborador do jornal "Correio do Estado", com artigos de opinião e crônicas ou minicontos totalizando mais de 200 publicações no periódico.
Em seus discursos, o presidente da ASL, Henrique de Medeiros, e o secretário-geral, Rubenio Marcelo - que fez o discurso de saudação ao novo acadêmico - fizeram duras críticas à medida. Rubenio declarou que o Ensino Médio "tem a meta de propiciara formação integral do estudante, bem como a educação em direitos humanos como princípio nacional norteador. Para ele, a formação integral necessita de aprendizados integrais e consistentes, e no tocante a educação em direitos humanos "sabemos que a literatura, pelo seu aspecto humanizador e formador cultural, constitui-se num dos necessários e mais relevantes direitos de todos."
Críticas ocorreram durante posse de  novo imortal da Academia Sul-Mato-Grossense de Letras (ASL), Oswaldo Barbosa de Almeida
Críticas ocorreram durante posse de novo imortal da Academia Sul-Mato-Grossense de Letras (ASL), Oswaldo Barbosa de Almeida
Henrique de Medeiros, ao também criticar a composição da nova grade escolar, disse que "a palavra na gramática é matemática", e a "palavra na literatura é pensamento e lições de vida". Lembrou ainda que a ASL foi uma das primeiras organizações a se posicionar contra a retirada da cadeira exclusiva de Literatura da rede escolar, ao publicar um Suplemento Cultural inteiro comentando e analisando a postura da Educação estadual, e que estará sempre ao lado das entidades organizadas em defesa dessa posição.
A solenidade contou com a presença de inúmeros acadêmicos, diversas autoridades e público com vários educadores que se manifestaram solidários às críticas proferidas, tendo sido a tônica principal da confraternização no foyer da Academia após a solenidade. Em seu discurso, Rubenio disse ainda, ao citar o escritor e ensaista Goethe, que valia ressaltar sua assertiva de que "O declínio da literatura indica o declínio de uma nação".
IMORTAL
O novo imortal, Oswaldo Barbosa de Almeida, passa a ocupar a cadeira que tem como patrono Ulysses Serra e que foi preenchida anteriormente porHeliophar de Almeida Serra. Oswaldo tem uma linda história de vida, tendo sido engraxate, vendedor, servente de fábricas de refrigerantes, frentista, entregador de mercadorias, locutor de rádio, além de ter trabalhado na Prefeitura de Campo Grande, no Banagro, no Banespa, na Planoeste, na Cohab e no TRT e ainda de exercer a advocacia.
Oswaldo foi membro do Tribunal de Ética e Disciplina da OAB, Seccional de MS, por oito anos. Atualmente, é advogado e servidor federal aposentado, residindo em Campo Grande. É autor dos livros Memórias... e outras histórias" e "Sobre Corujas e outras espécies". Possui iniciados dois projetos: um romance e um livro no campo histórico, sobre tema de interesse público. É colaborador do jornal "Correio do Estado", de Campo Grande, desde o ano de 2006, com mais de 200 textos publicados em crônicas, artigos de opinião, críticas e costumes, política e outros temas.
ACADEMIA
Fundada, em 30 de outubro de 1971, pelos escritores Ulisses Serra, Germano de Souza e José Couto Pontes, a instituição surgiu com o nome de Academia de Letras e História de Campo Grande. Esta denominação predominou até final de dezembro de 1978, quando, às vésperas da instalação da nova unidade da Federação (MS), que se daria no dia 1º/01/1979, em assembleia geral, a entidade foi transformada em Academia Sul-Mato-Grossense de Letras (ASL).
Fonte: http://www.douradosagora.com.br

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE 2016.06.08

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/