'Três anúncios para um Crime' arrasa no Bafta, o Oscar britânico

Premiação foi realizada no Royal Albert Hall, da capital britânica, e transcorreu em um clima marcado pelas recentes revelações de abusos sexuais na indústria.
O cineasta britânico-irlandês Martin McDonagh (E), o produtor Peter Czernin (2º E), o ator americano Sam Rockwell, e o produtor britânico Graham Broadbent (D) posam com a atriz Frances McDormand (2D), após receberem o Bafta de melhor filme para 'Três Anúncios para um Crime', em Londres
O cineasta britânico-irlandês Martin McDonagh (E), o produtor Peter Czernin (2º E), o ator americano Sam Rockwell, e o produtor britânico Graham Broadbent (D) posam com a atriz Frances McDormand (2D), após receberem o Bafta de melhor filme para 'Três Anúncios para um Crime', em Londres (AFP)

O filme "Três Anúncios para um Crime", do britânico Martin McDonagh, faturou cinco prêmios da Academia Britânica de Artes Cinematográficas e Televisivas (Bafta), enquanto o diretor mexicano Guillermo del Toro foi contemplado como melhor diretor por "A forma da Água", durante cerimônia celebrada nesse domingo (18), em Londres.
A premiação foi realizada no Royal Albert Hall, da capital britânica, e transcorreu em um clima marcado pelas recentes revelações de abusos sexuais na indústria.
Várias estrelas se vestiram de preto em protesto contra os escândalos que envolvem grandes nomes do cinema, entre eles o produtor americano Harvey Weinstein.
Angelina Jolie, Jennifer Lawrence e Kristin Scott Thomas foram algumas das atrizes que vestiram preto.
A cerimônia foi apresentada pela atriz Joanna Lumley, a Patsy Stone de "Absolutely Fabulous". A atriz ganhou dois prêmios Bafta durante sua carreira e saltou para a fama por seu papel na série de TV "The New Avengers" (Os Novos Vingadores, em tradução literal).
A Academia britânica foi alvo de muitas críticas por ter indicado exclusivamente homens ou filmes dirigidos por homens nas categorias de maior prestígio: melhor filme, melhor filme britânico e melhor diretor.
"Três Anúncios para um Crime" predominou na cerimônia, levando os prêmios de melhor filme, melhor roteiro original, melhor atriz, melhor ator coadjuvante e melhor filme britânico.
Este drama ácido, que conta a história de uma mãe (Frances McDormand), que clama por Justiça após a morte da filha, superou o franco favorito, "A Forma da Água", do mexicano Guillermo del Toro, e outros concorrentes na categoria: "Me chame pelo meu nome", de Luca Guadagnino, "O Destino de uma Nação", de Joe Wright, e "Dunkirk", de Christopher Nolan.
A produção rendeu o prêmio de melhor atriz para a americana Frances McDormand, já contemplada em janeiro pela imprensa estrangeira de Hollywood com o Globo de Ouro de melhor interpretação feminina pelo mesmo papel.
McDormand superou as atrizes Annette Bening ("As estrelas não morrem em Liverpool"), Margot Robbie ("Eu, Tonya"), Sally Hawkins ("A Forma da Água") e Saoirse Ronan ("Lady Bird: a hora de voar").
O prêmio de melhor ator ficou com o britânico Gary Oldman pela interpretação de Winston Churchill em "O Destino de uma Nação".
Oldman, que também já havia sido premiado com o Globo de Ouro este ano, superou Daniel Day-Lewis ("Trama fantasma"), Daniel Kaluuya ("Corra!"), Jamie Bell ("As estrelas não morrem em Liverpool") e Timothée Chalamet ("Me chame pelo seu nome").
Indicado em doze categorias, "A Forma da Água", que relata uma improvável história de amor entre uma faxineira de um laboratório secreto dos EUA durante a Guerra Fria e uma criatura mantida em cativeiro ali, levou três prêmios: melhor diretor para o mexicano Guillermo del Toro, melhor trilha sonora original para Alexandre Desplat e melhor design de produção.
Entre os outros contemplados desta noite, Allison Janney ("Eu, Tonya") levou o Bafta de melhor atriz coadjuvante e Daniel Kaluuya ("Corra!") de melhor intérprete revelação.
"Call me by your name", de Luca Guadagnino, levou o prêmio de melhor roteiro adaptado. O filme se baseou no romance homônimo de James Ivory.
"A Criada", do sul-coreano Park Chan-wook, levou o Bafta de melhor filme em língua estrangeira; "I am not your Negro", de Raoul Peck, o prêmio de melhor documentário, e "Viva - A vida é uma festa", de Lee Ukrich, o de melhor filme de animação.

AFP

Comentários

Mais Visitadas

MEU PROFESSOR: MEU SUPER-HERÓI

Morre, aos 92 anos, a escritora Zibia Gasparetto

Dentro da rotina das redes sociais, mulheres dividem as dificuldades e os pontos positivos de expor a maternidade

A Palavra Não