Cinema: «Menor exército do mundo» vem a Lisboa

Responsável do Vaticano para a Comunicação apresenta documentário no FESTin

Lisboa, 02 mar 2018 (Ecclesia) – O prefeito da Secretaria para a Comunicação da Santa Sé vai apresentar hoje em Lisboa o documentário sobre “O menor exército do Mundo”, a Guarda Suíça, em exibição, pelas 19h00, no FESTin 2018.
Monsenhor Eduardo Viganò faz uma conferência a partir das 17h00, no Cinema São Jorge, a convite da organização do Festival Itinerante de Língua Portuguesa (FESTin), que decorre até 6 de março.
O documentário sobre a Guarda Suíça Pontifícia integra o programa da ‘Mostra Latim: A língua em movimento’.
Professor de Teologia da Comunicação na Universidade Pontifícia Lateranense, Eduardo Viganò é prefeito da Secretaria para a Comunicação da Santa Sé desde 27 de junho de 2015 e diretor do Centro Televisivo Vaticano desde janeiro de 2013, pouco antes da resignação de Bento XVI.
Ordenado sacerdote em Milão em 1987, iniciou de seguida a investigação académica na área do cinema e do audiovisual, que o levou à lecionação e ao trabalho no setor, primeiro na Diocese de Milão e depois na Conferência Episcopal Italiana.
Monsenhor Eduardo Viganò vai falar sobre a comunicação no pontificado do Papa Francisco e apresentar a sessão do documentário produzido pelo Centro Televisivo Vaticano (CTV).
A conferência realiza-se na Sala 3 do Cinema São Jorge e a apresentação de “O Menor Exército do Mundo” vai decorrer na Sala Manoel de Oliveira.
“Estou contente de participar no FESTin, uma importante manifestação cultural que difunde o cinema de língua portuguesa no mundo”, comenta Monsenhor Viganò, em declarações ao portal de notícias do Vaticano.
“Uma missão – observa – na qual tenho prazer em contribuir apresentando o filme “O menor exército do mundo”, que narra um aspeto muito particular da vida no Vaticano. Um modo para contar a nova comunicação desejada pelo Papa Francisco na lógica da Igreja em saída”.
Eduardo Viganò esteve em Portugal em 2014 para participar nas Jornadas Nacionais de Comunicação Social, promovidas pelo Secretariado Nacional das Comunicações Sociais e disse na ocasião à Agência ECCLESIA que Francisco é o “Papa do encontro” que tem sabido potenciar as imagens para comunicar a mensagem da Igreja.
A Guarda Suíça Pontifícia, fundada por Júlio II em 1506, é uma companhia militar de jovens recrutados voluntariamente na Suíça, para a defesa da pessoa do Papa e da sua residência.
O corpo militar tem ainda outras tarefas, como a vigilância das entradas na Cidade do Vaticano e serviços de segurança e de honra durante as cerimónias religiosas e diplomáticas.
Uma representação da Guarda Suíça acompanha o Papa nas suas viagens ao estrangeiro.
LFS/OC/PR

Comentários

Mais Visitadas

LAMENTAÇÕES DE UM LÁPIS

MEU PROFESSOR: MEU SUPER-HERÓI

Morre, aos 92 anos, a escritora Zibia Gasparetto

A Palavra Não