Pular para o conteúdo principal

Deus no rosto dos crucificados


Padre Geovane Saraiva*
O assunto volta, no sentido da renovação da nossa fé, numa parada diante da liturgia da Quinta-Feira Santa, quando os sacerdotes - ministros da Igreja - ficam cingidos com uma toalha, para lavar os pés de pessoas de suas comunidades. É claro que pode surgir a pergunta, que vale para todos: Estamos dispostos, no exemplo de Jesus, a lavar os pés uns dos outros, isto é, a ajudar na cruz dura e pesada de cada dia de muitos irmãos? Também temos disposição interior num mundo tão complexo e diverso quanto o nosso, no sentido de diminuir preconceitos, intolerâncias e intransigências para com nossos irmãos, vendo neles o rosto do Filho Amado do Pai? Que Maria ajude nosso olhar, sem nunca fugir do rosto de tantos irmãos crucificados, e neles contemplar a face terna de Deus.

A oração da Igreja, após a celebração da noite de Quinta-Feira Santa, quer revelar a face do nosso Deus, todo despojado, convidando-nos a envolvermos por seu amor. A salvação da humanidade está no indizível mistério do serviço, pela disposição interior de Maria, aqui, no contexto da Semana Santa, vale recordar as sete dores da Virgem Maria. Fiquemos ao seu lado, unidos na mesma fé, nas imensas dores vivenciadas pela Santa Mãe de Deus. Não são apenas sete, segundo retrata a arte inaudita de Michelangelo, na representação do quadro da virgem dolorosa com o corpo de seu filho Jesus, após a crucifixão, morto e ensanguentado nos seus braços.

Aprendamos com Dom Helder: “Que eu aprenda afinal, com a paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo, a cobrir de véus o acidental e efêmero, deixando em primeiro plano apenas o mistério da Redenção". Será que é vontade de Deus a segurança dos cristãos instalados, vivendo de braços cruzados, sabendo que milhões de seres humanos nascem só para sofrer? Que a liturgia da semana supracitada possa, de verdade, permear nosso imaginário do Sagrado, numa ardorosa busca e sempre maior da nossa intimidade com o bom Senhor, Jesus Cristo, culminando, evidentemente, na conversão do coração.

A voz de Deus nos crucificados dos nossos dias adéqua-se na afirmação do teólogo José Antônio Pagola: “Não podemos adorar o Crucificado e viver de costas ao sofrimento de tantos seres humanos destruídos pela fome, pelas guerras ou pela miséria”. Somos todos convidados a refletir, de um modo consequente, do mais íntimo do íntimo, sobre a paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo: “Eu me entrego, Senhor, em tuas mãos, e espero pela tua salvação”. Assim seja!

*Pároco de Santo Afonso e vice-presidente da Previdência Sacerdotal, integra a Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza -geovanesaraiva@gmail.com

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE 2016.06.08

Campus Party 2018 vendeu 30% a mais de ingressos que edição anterior

A feira de tecnologia Campus Party Brasília 2018 foi encerrada hoje (1°), após ter reunido milhares de pessoas em torno de palestras, oficinas e atividades com temas como o uso da tecnologia da computação, robótica, empreendedorismo e startups. Essa é a segunda edição do evento em Brasília, que começou no dia 27 de junho, no Estádio Nacional Mané Garrincha. Antes prevista para acontecer de 30 de maio a 3 de junho, a feira foi adiada para esta semana por causa da greve dos caminhoneiros. De acordo com o diretor da Campus Party Brasil, Tônico Novaes, o evento contabilizou um volume de vendas de ingressos pelo menos 30% maior que a primeira edição da Campus Party em Brasília, realizada no ano passado.  Para Tônico Novaes, a edição no Distrito Federal se destacou pela elevada participação e envolvimento dos que estão no evento.  “Os campuseiros daqui são realmente engajados no conteúdo. Andando por aqui você vai ver todos os workshops e bancadas cheias e a estrutura está bem maior que a …