Dupla fatura prêmio Nobel da literatura infantil

Eiko Kadono e Igor Oleynikov tiveram os nomes confirmados no primeiro dia da Feira do Livro Infantil de Bolonha, o mais importante evento do setor, que acontece até esta quinta (29)
Os dois vencedores do prêmio Hans Christian Andersen, considerado o Nobel da literatura infantil, foram anunciados nesta segunda (26). Eiko Kadono e Igor Oleynikov tiveram os nomes confirmados no primeiro dia da Feira do Livro Infantil de Bolonha, o mais importante evento do setor.
Kadono nasceu em Tóquio em 1935 e tem ligação próxima com o Brasil. A autora viveu por aqui durante dois anos, quando tinha 25. O país inspirou um de seus trabalhos "Ruijinnyo Shonen, Burajiru o Tazunete" ("Brasil e Meu Amigo Luizinho"), sobre um garoto que adora dançar samba.
Vencedora de diversos prêmios e de uma obra que atinge mais de 200 trabalhos, ela é mais conhecida por "Majo No Takkyubin" ("Kiki's Delivery Service"), que foi adaptado para uma animação pelo diretor Hayao Miyazaki (de "A Viagem de Chihiro").
Distinção
Já o outro vencedor, Oleynikov, também é conhecido por sua interface com o cinema. Nascido em Moscou em 1953, ele começou a trabalhar com animações antes de ilustrar livros para crianças.
Foi em 1986 que passou a criar imagens para publicações infantis, sendo que hoje são mais de 80 livros para esse público - entre eles, edições de textos clássicos.
Seus personagens parecem saídos de mundos mágicos, transitando entre o humano e o animal.
Oleynikov e Kadono, que não têm livros atualmente no Brasil, receberão o prêmio no próximo congresso internacional da IBBY (International Board on Books for Young People), em agosto. A entidade entrega a distinção a cada dois anos em reconhecimento à trajetória de um escritor e de um ilustrador.
Nacional
O Brasil já teve três vencedores do Andersen. Lygia Bojunga, em 1982, e Ana Maria Machado, em 2000, ganharam na categoria texto. Roger Mello, em 2014, foi o primeiro latino-americano a vencer na categoria ilustração - e, por enquanto, o único. Neste ano, o país indicou Marina Colasanti e Ciça Fittipaldi ao prêmio - mas seus nomes não ficaram entre os finalistas.
*A Feira de Bolonha acontece até quinta (29) na cidade italiana.
Diário do Nordeste

Comentários

Mais Visitadas

Físico brasileiro recebe Prêmio Templeton de 2019

Câmara homenageia mulheres que se destacaram na luta por direitos

Inep cria comissão para decidir itens que farão parte do Enem 2019

José, servo bom e fiel

Primeira edição da Semana de Arte Unifor abraça diversidade de linguagens e expressões