Evolução

Gonzaga Mota*
Um dos temas mais debatidos e objeto de reflexão, ao longo do tempo, diz respeito à "evolução espiritual". Envolve, é claro, conceitos inerentes à fé e à razão. Estudiosos (filósofos, teólogos, cientistas, etc) analisam o comportamento das pessoas à luz do "crer ou não crer" em uma proposta. Um desafio significativo para todos nós é o de conceber valores sem destruir os outros. A polarização vem aumentando. São Bento, por exemplo, foi um grande pensador e um homem alheio a qualquer forma negativa de polêmica, preocupando-se muito com o ser humano.
Atualmente, em razão do progresso tecnológico e também do processo de globalização, as pessoas reagem mais aos objetivos diferentes dos seus. Nesta linha de raciocínio, as manifestações ecumênicas, respeitando-se a liberdade de pensamento, são fundamentais para se conseguir um mundo melhor. Sou católico praticante, creio na palavra de Deus, externando o amor a Ele e ao próximo. Todavia, acredito que todos de bom senso e de boa vontade, quer sejam crentes, agnósticos ou ateus devem buscar a solidariedade, ou seja, o amor ao próximo. Ademais, para Cristo é preferível um ateu justo e sincero do que um falso cristão.
A paz exterior decorre da paz interior, isto é, da "evolução espiritual". As virtudes teologais (fé, esperança e caridade), assim como as virtudes cardeais ou centrais(prudência, temperança, fortaleza e justiça) podem ser comuns a todos, independentemente, do posicionamento religioso, pois são concedidas pela bondade de Deus. "Tudo neste mundo tem o seu tempo; cada coisa tem a sua ocasião"(Ec 3,1).
*Professor aposentado da UFC

Comentários

Mais Visitadas

O Irmão Carlos de Foucauld

Há 50 anos, primeira mulher negra era eleita ao Congresso nos EUA

Memorial do Holocausto lembra 80 anos da Noite dos Cristais em SP

MASP completa 50 anos de histórias

Escreve Pe. Jocy - Dom Delgado