Pular para o conteúdo principal

Mulheres lançam campanha para combater o assédio a jornalistas

JORNALISTA Bruna Dealtry foi atacada por torcedor enquanto cobria jogo do Vasco   REPRODUÇÃO DO ESPORTE INTERATIVO
JORNALISTA Bruna Dealtry foi atacada por torcedor enquanto cobria jogo do Vasco REPRODUÇÃO DO ESPORTE INTERATIVO
Nem mesmo uma transmissão ao vivo inibiu o assédio de um torcedor contra a repórter Bruna Dealtry, dos canais Esporte Interativo. Um homem tentou beijá-la quando ela trazia informações durante o pré-jogo do Vasco na Libertadores, no início deste mês, no Rio de Janeiro. 
A ação do assediador escancarou frente às câmeras uma situação recorrente vivida por mulheres na cobertura esportiva no Brasil, dentro e fora dos estádios de futebol. O episódio sofrido por Bruna é apenas um dos que motivaram manifesto “Deixa Ela Trabalhar”, organizado por cerca de 50 jornalistas, em combate ao assédio moral e sexual e ao preconceito, e lançado no domingo passado. O vídeo do grupo foi exibido no Maracanã, na final da Taça Rio, e compartilhado nas redes sociais. A campanha teve rápida repercussão, conquistando o apoio de clubes de todo o Brasil, inclusive de Ceará e Fortaleza.  
Repórter do Globoesporte.com no Ceará, Thaís Jorge diz que o assédio e o preconceito são problemas antigos na cobertura esportiva, em todas as esferas: das redações às arquibancadas.  
“A campanha vem dizer que a gente não se cala mais. Nossa voz, muitas vezes, é contestada, silenciada e questionada (por sermos mulheres). É importante a conscientização da nossa classe. O Deixa Ela Trabalhar não é uma ideia de permissão, é um pedido de respeito”, afirma Thaís, que já foi assediada e presenciou assédios contra colegas de profissão.
Repórter esportiva da TV Ceará e da Rádio O POVO/CBN, Germana Pinheiro já sofreu com xingamentos, gestos obscenos e ameaças. “Por vezes, me chamaram de vagabunda, rapariga. É difícil estar à beira do campo e ficar bem com torcedores atrás de você. É como se só o homem pudesse entender. É uma luta diária, principalmente quando se está no estádio. Eu super apoio o manifesto.”
ESTÁDIO SEM MEDO
Em janeiro, O POVO noticiou sobre a campanha de torcedoras contra o assédio nos estádios 
LUCAS MOTA
O POVO

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE 2016.06.08

Campus Party 2018 vendeu 30% a mais de ingressos que edição anterior

A feira de tecnologia Campus Party Brasília 2018 foi encerrada hoje (1°), após ter reunido milhares de pessoas em torno de palestras, oficinas e atividades com temas como o uso da tecnologia da computação, robótica, empreendedorismo e startups. Essa é a segunda edição do evento em Brasília, que começou no dia 27 de junho, no Estádio Nacional Mané Garrincha. Antes prevista para acontecer de 30 de maio a 3 de junho, a feira foi adiada para esta semana por causa da greve dos caminhoneiros. De acordo com o diretor da Campus Party Brasil, Tônico Novaes, o evento contabilizou um volume de vendas de ingressos pelo menos 30% maior que a primeira edição da Campus Party em Brasília, realizada no ano passado.  Para Tônico Novaes, a edição no Distrito Federal se destacou pela elevada participação e envolvimento dos que estão no evento.  “Os campuseiros daqui são realmente engajados no conteúdo. Andando por aqui você vai ver todos os workshops e bancadas cheias e a estrutura está bem maior que a …