Pular para o conteúdo principal

Novo censo americano terá pergunta polêmica sobre cidadania

O censo afeta a distribuição de mais de 675 bilhões de dólares anuais em fundos federais para escolas, hospitais, estradas e outros serviços públicos.
O censo afeta a distribuição de mais de 675 bilhões de dólares anuais em fundos federais para escolas, hospitais, estradas e outros serviços públicos. (Pixabay)
É um fato: os Estados Unidos reintroduzirão em seu próximo censo a pergunta sobre cidadania, uma medida polêmica em um país com milhões de imigrantes em situação ilegal temerosos das políticas anti-imigração do presidente Donald Trump.
O Departamento de Comércio, que supervisiona o censo, disse que a pergunta será acrescentada por solicitação do Departamento de Justiça para ajudar a determinar possíveis violações da "Voting Rights Act", lei que proíbe a discriminação racial no voto.
Somente os cidadãos americanos podem se registrar para votar, mas Trump afirmou que milhões de imigrantes em situação ilegal votaram nas eleições presidenciais de 2016, mas sem dar provas.
A última vez que uma pergunta sobre cidadania foi incluída no questionário do censo foi em 1950.
O secretário de Comércio, Wilbur Ross, disse em comunicado que "obter informação completa e precisa (...) compensa os limitados impactos adversos".
A Constituição dos Estados Unidos contempla um censo com a "enumeração atual" de toda a população a cada 10 anos e os críticos da medida temem que a pergunta desestimule algumas minorias a participar da contagem, por medo que a informação seja usada contra elas.
Inclusive imigrantes com residência legal estariam resistentes a participar se tiverem laços com pessoas sem documentos, o que socavaria a exatidão do resultado.
O procurador-geral da Califórnia, Xavier Becerra, introduziu nesta terça-feira uma ação contra a medida por considerar que é "inconstitucional".
"Ao incluir uma pergunta sobre a cidadania, o governo põe de lado a ciência, o sentido comum e a Constituição", declarou Becerra.
De acordo com a Constituição, o censo determina o número de cadeiras que cada estado tem na Câmara de Representantes.
A líder da bancada minoritária da Câmara, a democrata Nancy Pelosi, condenou que "Trump tenha colocado a política sobre a Constituição" e tenha ignorado o consenso de ex-diretores do Escritório do Censo, que expressaram preocupação sobre a confidencialidade da informação.
Responder ao censo também é fundamental para a distribuição equitativa de mais de 675 bilhões de dólares de fundos federais anuais para escolas, hospitais, estradas e outros serviços públicos, indicou o Escritório do Censo.
A contagem errônea da população de certas comunidades é um problema antigo. Os especialistas calcularam que no último censo, de 2010, no qual se fixou a população em 308,8 milhões de pessoas - um aumento de 9,7% em uma década -, cerca de 775 mil residentes latinos não foram contabilizados.
Mas desta vez o assunto pode ser de maior envergadura.
Se as minorias, com frequência concentradas nos centros urbanos que se inclinam mais pelos candidatos democratas, não participarem de maneira maciça no censo, poderia afetar o equilíbrio de poder no Congresso.
Em 2010, a população americana era de 308,8 milhões de pessoas, um aumento de 9,7% em uma década. De acordo com estimativas, atualmente seria de 327 milhões (+5,8%).

AFP

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE 2016.06.08

Campus Party 2018 vendeu 30% a mais de ingressos que edição anterior

A feira de tecnologia Campus Party Brasília 2018 foi encerrada hoje (1°), após ter reunido milhares de pessoas em torno de palestras, oficinas e atividades com temas como o uso da tecnologia da computação, robótica, empreendedorismo e startups. Essa é a segunda edição do evento em Brasília, que começou no dia 27 de junho, no Estádio Nacional Mané Garrincha. Antes prevista para acontecer de 30 de maio a 3 de junho, a feira foi adiada para esta semana por causa da greve dos caminhoneiros. De acordo com o diretor da Campus Party Brasil, Tônico Novaes, o evento contabilizou um volume de vendas de ingressos pelo menos 30% maior que a primeira edição da Campus Party em Brasília, realizada no ano passado.  Para Tônico Novaes, a edição no Distrito Federal se destacou pela elevada participação e envolvimento dos que estão no evento.  “Os campuseiros daqui são realmente engajados no conteúdo. Andando por aqui você vai ver todos os workshops e bancadas cheias e a estrutura está bem maior que a …