Qual o rumo?

Gonzaga Mota*
Os sentimentos de humildade e amor, objetivando dias melhores, são fundamentais para a sociedade. Por outro lado, o ódio, a ganância, a inveja e a ambição, dentre outros, são comportamentos incompatíveis com uma existência saudável da humanidade.
A educação encontra-se na base de qualquer sociedade, nação ou comunidade. Por sua vez, quando falamos em educação, não pretendemos nos deter somente no aspecto relativo ao conhecimento tradicional.
Também à formação comportamental representativa do caráter, do modo de ser do indivíduo, do respeito aos outros, isto é, aquela educação que não se aprende apenas nos bancos escolares, porém, no dia a dia de uma sociedade.
Os bons exemplos e orientações oriundas dos pais, dos professores, dos amigos, dos patrões, dos governantes etc permitem a constituição de um agrupamento livre de truculência física ou mental.
A violência em todas as suas formas - como desemprego, a fome, o analfabetismo, a imprensa e o "marketing" tendenciosos, as más pessoas públicas, a discriminação - conduz qualquer sociedade a um clima de perplexidade, revolta e apatia, motivando mais violência.
Convém ressaltar o exemplo de São Francisco de Assis. Ele analisou de forma ecumênica a religião e o mundo observando os valores pessoais interiores. Deu ênfase ao diálogo, ao meio ambiente, à caridade, à justiça e à sabedoria. Como seria bom se nos dias de hoje, nós, os líderes, bem como as pessoas que decidem e formam opinião seguissem o pensamento de São Francisco. "É ilusão, é ilusão diz o Sábio. Tudo é ilusão" (Ec 1,2).
*Professor aposentado da UFC

Comentários

Mais Visitadas

O Irmão Carlos de Foucauld

Há 50 anos, primeira mulher negra era eleita ao Congresso nos EUA

Memorial do Holocausto lembra 80 anos da Noite dos Cristais em SP

MASP completa 50 anos de histórias

Escreve Pe. Jocy - Dom Delgado