Espiar celular de companheiro pode resultar em prisão na Arábia Saudita

Nova lei pretende 'proteger a moral dos indivíduos e da sociedade e proteger a privacidade'.
Mulher olha celular nas redondezas de Riad, Arábia Saudita.
Mulher olha celular nas redondezas de Riad, Arábia Saudita. (Fahad Shadeed/ Reuters)

Por Noah Browning
Espiar o celular de seu companheiro na Arábia Saudita agora pode resultar em altas multas e em até um ano de prisão, de acordo com uma nova lei que pretende "proteger a moral dos indivíduos e da sociedade e proteger a privacidade".
A punição será válida tanto para homens quanto para mulheres no ultraconservador reino muçulmano, de acordo com comunicado divulgado na noite de segunda-feira pelo Ministério da Cultura.
A lei pode, entretanto, proteger homens de suas esposas.
Como em muitas outras partes do mundo muçulmano, leis sauditas para divórcio, inspiradas em escrituras sagradas, muitas vezes exigem que esposas forneçam evidências de abuso ou promiscuidade sexual para pedir pensão. O celular de um marido pode ser grande fonte de evidências do tipo.
A chamada lei anti-crime cibernético torna "espionar, interceptar, ou receber dados transmitidos através de uma rede de informação ou computador sem autorização legítima" um crime. A lei prevê pena de até 500 mil riais sauditas (133 mil dólares), pena de prisão ou ambos.
"Redes sociais têm resultado no constante crescimento de crimes cibernéticos como chantagem, fraude e difamação, sem mencionar a invasão de contas", disse o ministério.

Reuters

Comentários

Mais Visitadas

O Irmão Carlos de Foucauld

Há 50 anos, primeira mulher negra era eleita ao Congresso nos EUA

Memorial do Holocausto lembra 80 anos da Noite dos Cristais em SP

MASP completa 50 anos de histórias

Escreve Pe. Jocy - Dom Delgado