Evento dedicado à literatura e ao cinema policial, Porto Alegre Noir ocorre na Cinemateca Capitólio

Marcus Mello / Reprodução Facebook
Cinemateca Capitólio
A literatura policial é um dos gêneros que mais movimenta o mercado editorial pelo mundo. No RS não é diferente. Escritores como Tailor DinizTabajara Ruas e Carina Luft são ativos em suas incursões ficcionais pelo mundo do crime e do mistério. No entanto, só agora a Capital ganha um evento dedicado ao tema: Porto Alegre Noir terá sua primeira edição de sexta-feira a domingo, na Cinemateca Capitólio (Demétrio Ribeiro, 1.085).
 
Loading ad
– Gosto de compartilhar minhas paixões como leitor e escritor. Achei que estava no momento de fazer um evento voltado só para a literatura policial, até porque este é um bom momento do gênero no país. Conseguimos estender a programação também para o cinema. No futuro, tentaremos agregar os quadrinhos – conta Cesar Alcázar, idealizador da mostra.
Alcázar tem know-how em promover festivais culturais independentes, sendo um dos organizadores da Odisseia de Literatura Fantástica, que, em junho, chegará à quinta edição. Para o Porto Alegre Noir, ele conta com a parceria das produtoras Fio e Cine Um, além do apoio de diferentes instituições.
Na programação, estão escritores de fora do Estado como Claudia Lemes, de São Paulo, autora dos thrillers Um Martini com o Diabo e Eu Vejo Kate. No sábado, às 16h15min, ela ministra o curso Técnicas de Suspense e Anatomia do Thriller. De Santa Catarina, Rogerio Christofoletti, um dos autores do almanaque eletrônico Os Maiores Detetives do Mundo, participará, no sábado, às 17h30min, de um bate-papo com o jornalista de ZH Carlos André Moreira, que participa da coletânea Ficção de Polpa: Crime (2008), e a escritora Carol Bensimon, que também esteve nessa coleção e assina um conto no recente Acerto de Contas – Treze Histórias de Crime & Nova Literatura Latino-Americana. Entre as atrações locais, estão os já citados Tabajara, Diniz e Carina, além de A. Z. Cordenonsi, Gabriela Silva e Rodrigo Tavares.
O evento começa com uma edição especial do Projeto Raros, que costuma exibir filmes fora do catálogo das distribuidoras. Na sexta-feira, às 19h, o escolhido é o longa A Quadrilha(1973), de John Flynn, adaptação do livro The Outfit, de Richard Stark. Depois da exibição, haverá comentário do escritor e cineasta Fernando Mantelli.
– Os três filmes que escolhemos são adaptações de romances mais ou menos conhecidos. No caso de A Quadrilha, o livro que lhe deu origem não foi lançado no país, mas uma versão em quadrinhos, chamada A Organização, lançada pela Devir, está disponível. O filme não foi um grande sucesso, mas foi muito elogiado e passou até na televisão nos anos 1970. Nunca foi lançado em VHS ou DVD no Brasil, embora merecesse uma edição – explica Alcázar.
No sábado, o filme escolhido é No Silêncio da Noite (1950), de Nicholas Ray, adaptação do livro homônimo de Dorothy B. Hughes, lançado no Brasil pela L&PM Editores. Já no domingo, é a vez de Homens em Fúria, de Robert Wise, baseado em obra de William P. McGivern inédita no país.
Os bate-papos e sessões de cinema do Porto Alegre Noir têm entrada franca, mas para os cursos é preciso fazer inscrições, com valor de R$ 45. A programação completa e informações para se inscrever podem ser acessadas aqui.

Comentários

Mais Visitadas

As dores da humanidade

Tudo começa com o caderno de caligrafia

14 etnias não têm seu idioma original preservado no Estado do Ceará

Adjetivando a vida

Intolerância: arma dos preconceituosos