Pular para o conteúdo principal

Mostra resgata a história da Paixão de Cristo no Cine Humberto Mauro

A programação reúne sete longas-metragens, de diferentes gêneros, que abordam a maior história de todos os tempos sob diferentes perspectivas.
O musical Jesus Cristo Superstar (1973).
O musical Jesus Cristo Superstar (1973). (Divulgação)

A vida e, principalmente, a morte da figura central do Cristianismo, Jesus de Nazaré, é o tema da mostra A Maior História de Todos os Tempos, que segue em cartaz no Cine Humberto Mauro. A programação reúne sete longas-metragens, de diferentes gêneros, que abordam a maior história de todos os tempos sob diferentes perspectivas. Jesus Cristo Superstar, A Vida de Brian, A Última Tentação de Cristo e A Montanha Sagrada são algumas das produções que serão exibidas ao longo da mostra.
Com curadoria de Bruno Hilário e Vitor Miranda, A Maior História de Todos os Tempos reúne produções de Pier Paolo Pasolini, Alejandro Jodorowski e Martin Scorsese, conhecidos por seus filmes provocativos, entre outros diretores. Apesar de visões diferentes sobre a narrativa cristã, os filmes têm, em comum, a constante presença de personagens marcantes de passagens bíblicas, como os apóstolos e Maria Madalena.
Segundo Vitor Miranda, a escolha do tema da mostra não foi apenas pelo período da Páscoa, mas, também, para mostrar como uma narrativa única pode ter várias perspectivas quando abordada pela linguagem do cinema. “A mostra apresenta a criatividade desses cineastas em utilizar uma história consagrada e já conhecida como um universo de criação para formas totalmente novas e revigorantes, normalmente não vistas em produções tradicionais de teor religioso”, aponta.
Um nome, diferentes histórias – Em A Maior História de Todos os Tempos, o público poderá conferir produções consagradas na indústria cinematográfica, bem como obras mais alternativas. O Evangelho Segundo São Mateus (1964), de Pier Paolo Pasolini, retrata Jesus como um messias mais severo e politizado. O longa conta a história de Jesus a partir do texto de São Mateus, tido como o mais realista da Bíblia. “Apesar de ter sido desaprovado em seu lançamento pela Igreja Católica, atualmente é visto pelo Vaticano como o melhor filme sobre Jesus jamais rodado”, comenta Vitor Miranda.
Outro destaque da mostra é a produção surrealista A Montanha Sagrada (1973), dirigido pelo chileno Alejandro Jodorowsky. O longa é plástico e perpassa diversos misticismos sem se preocupar com crenças institucionalizadas, contando de forma quase ininteligível a jornada de Ladrão, figura representativa de Jesus, que, sob orientação de um guia espiritual, se reúne a sete discípulos rumo à Montanha Sagrada para tomar o lugar dos deuses imortais que dominam o mundo.
Em A Última Tentação de Cristo (1988), de Martin Scorsese, Jesus aparece como uma figura conflituosa em relação à sua figura espiritual e corpórea, passando por diversas provações comuns a todos os homens, como a depressão e a luxúria. Todos esses conflitos fazem com que o Messias passe a questionar a própria divindade, ao imaginar como seria sua vida se tivesse escolhido casar-se e ter filhos.
A comédia também é um gênero explorado pela mostra com A Vida de Brian (1979), de Terry Jones, um dos integrantes do Monty Phyton. No longa, Brian é contemporâneo de Jesus e, por ter nascido na noite de Natal num estábulo próximo ao que o próprio Cristo veio ao mundo, passa a ser visto como outro messias. “É a própria catarse do ridículo que dá profundidade ao filme e humaniza a figura de Jesus”, aponta Vitor Miranda. O musical Jesus Cristo Superstar (1973), icônica produção de Norman Jewison, traz elementos da cultura pop para contar a história de amizade e conflito entre Jesus e Judas, além de destacar a relação entre o filho de Deus e Maria Madalena, abordando o pecado da carne.

Mostra A MAIOR HISTÓRIA DE TODOS OS TEMPOS
Local: Cine Humberto Mauro – Palácio das Artes
Endereço: Av. Afonso Pena, 1.537
Período: 30 de março a 5 de abril
Classificação Indicativa: 16 anos
Entrada gratuita
Informações para o público: (31) 3236-7400

Fundação Clóvis Salgado

Dom Total

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE 2016.06.08

Campus Party 2018 vendeu 30% a mais de ingressos que edição anterior

A feira de tecnologia Campus Party Brasília 2018 foi encerrada hoje (1°), após ter reunido milhares de pessoas em torno de palestras, oficinas e atividades com temas como o uso da tecnologia da computação, robótica, empreendedorismo e startups. Essa é a segunda edição do evento em Brasília, que começou no dia 27 de junho, no Estádio Nacional Mané Garrincha. Antes prevista para acontecer de 30 de maio a 3 de junho, a feira foi adiada para esta semana por causa da greve dos caminhoneiros. De acordo com o diretor da Campus Party Brasil, Tônico Novaes, o evento contabilizou um volume de vendas de ingressos pelo menos 30% maior que a primeira edição da Campus Party em Brasília, realizada no ano passado.  Para Tônico Novaes, a edição no Distrito Federal se destacou pela elevada participação e envolvimento dos que estão no evento.  “Os campuseiros daqui são realmente engajados no conteúdo. Andando por aqui você vai ver todos os workshops e bancadas cheias e a estrutura está bem maior que a …