Político exemplar

Gonzaga Mota*
Já faz tempo do trágico falecimento do Dr. Ulysses Guimarães (12.10.1992). Sua memória continua viva para muitos. Na biografia de Ulysses, a eminência do homem apaga o brilho das circunstâncias, por maior coruscantes sejam as luzes destas. Assim, carece de importância o deputado federal, o ministro da Indústria e Comércio, presidente da Câmara dos Deputados, presidente da Constituinte ou qualquer outro galardão da glória e do poder. Seu perfil, analisando suas atitudes e comportamento, mostra a coerência política, a integridade pessoal, a coragem cívica e a obstinada tenacidade na construção de um Brasil maior, democrático, onde prevaleçam entre nós, a justiça, a liberdade, a honestidade, a paz e o amor à Pátria. Lembro-me, com saudades, do Dr. Ulysses, nos anos de 1984 e 1985, trabalhando de forma pacífica e com espírito público, pela redemocratização do Brasil. À época, tive a honra de governar o Ceará e participava de reuniões com Aureliano Chaves, Ulysses Guimarães, Tancredo Neves, Franco Montoro, Marcos Maciel e outros políticos que representavam o desejo e a esperança do povo brasileiro. Ulysses e Aureliano eram os dois principais articuladores do movimento que originou a Aliança Democrática, garantindo a eleição do inesquecível Tancredo Neves, derrotando o então deputado Paulo Maluf, para presidente da República. O "Senhor Democracia" sempre repetia em nossas reuniões esta frase: "A corrupção é o cupim da República". Jamais deixaremos de lembrar e de homenagear Ulysses. Nossos jovens precisam conhecer a verdadeira história contemporânea do Brasil, do Nordeste e do Ceará.
*Professor aposentado da UFC

Comentários

Mais Visitadas

O Irmão Carlos de Foucauld

Há 50 anos, primeira mulher negra era eleita ao Congresso nos EUA

Memorial do Holocausto lembra 80 anos da Noite dos Cristais em SP

MASP completa 50 anos de histórias

Escreve Pe. Jocy - Dom Delgado