Prêmio Culturas Populares abre inscrições no dia 29 de maio

O Ministério da Cultura (Minc) lançou hoje (27) a edição de 2018 do prêmio Culturas Populares. Os prêmios somam R$ 10 milhões, que serão destinados a 500 projetos em todo o país. No total, serão 100 iniciativas contempladas por região. Cada vencedor vai receber R$ 20 mil.
Os prêmios serão divididos em 200 para mestres, voltado a pessoas físicas; 180 para grupos não profissionais, sem Cadastro de Pessoa Jurídica (CNPJ); 70 para associações e outros tipos de pessoas jurídicas sem fins lucrativos e 30 para organizações com ações em acessibilidade cultural.
O ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, durante entrevista sobre o Prêmio Culturas Populares.
O ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, durante entrevista sobre o Prêmio Culturas Populares (Marcelo Camargo/Agência Brasil)
O objetivo é reconhecer e valorizar expressões culturais e populares com profunda inerção e que digam respeito às tradições culturais do país, além de permitir, com apoio financeiro, que essas expressões possam ganhar visibilidade.
“É fundamental que possamos, a partir do Ministério da Cultura, contribuir para a preservação e para a expansão das expressões culturais que compõem o nosso repertório simbólico, artístico e que fazem parte da nossa identidade cultural”, diz o ministro Sérgio Sá Leitão.
Será constituída uma comissão julgadora formada por especialistas no tema. A avaliação das candidaturas será feita com base em critérios definidos no âmbito do ministério. Na análise, serão considerados aspectos como a importância, o grau de inserção, a vinculação com as tradições e o reconhecimento. A referência do exame será a carreira ou história das pessoas ou projetos.
Inscrições
A expectativa é receber cerca de 3 mil inscrições, que poderão ser feitas entre 29 de maio e 28 de julho deste ano. Os candidatos poderão se inscrever pela internet, no site SalicWeb, do Minc, ou pelo correio. Mais informações sobre o processo estão disponíveis na página oficial do prêmio.
Homenagem
Neste ano, a homenageada foi a cantora Selma do Coco, que morreu em 2015. A artista nasceu em 1929, em Vitória de Santo Antão, em Pernambuco, e se constituiu uma das principais referências do gênero musical nordestino Coco no país, ganhando reconhecimento internacional. Apesar de nascer nos anos 1920, somente em 1995 gravou o primeiro disco, Coco de Roda, elogio da festa. Em 1998, recebeu o prêmio Sharp, hoje conhecido como Prêmio da Música Brasileira.
Agência Brasil

Comentários

Mais Visitadas

Físico brasileiro recebe Prêmio Templeton de 2019

Câmara homenageia mulheres que se destacaram na luta por direitos

José, servo bom e fiel

Inep cria comissão para decidir itens que farão parte do Enem 2019

Primeira edição da Semana de Arte Unifor abraça diversidade de linguagens e expressões