Presidente da ABL, Acadêmico Marco Lucchesi, recebe homenagem do Colégio Salesiano, de onde foi aluno no Ensino Médio

O Presidente da Academia Brasileira de Letras, Acadêmico, poeta e tradutor Marco Lucchesi, será o grande homenageado da XIV Feira Literária do Colégio Salesiano Santa Rosa, em Niterói, Rio de Janeiro, de onde foi aluno no Ensino Médio. O evento está programado para os dias 18 a 20 de abril, de quarta-feira a sexta-feira, naquela instituição (Rua Santa Rosa, 207).
A homenagem será no último dia do evento, às 10 horas, com a presença de Lucchesi. Além da Feira de Livros, estão programadas exposições de artesanato e artigos literários, com a participação de expositores externos. A programação inclui, também, atividades culturais e lúdicas.
O ACADÊMICO
Sétimo ocupante da cadeira nº 15 da ABL, eleito em 3 de março de 2011, Marco Lucchesi é poeta, romancista, ensaísta e tradutor. Publicou mais de 40 livros ao longo de sua trajetória. Primeiro filho brasileiro de uma família italiana, o Presidente da ABL notabilizou-se pela criatividade marcada por uma sólida formação intelectual – que inclui o conhecimento de mais de 20 línguas.
Professor titular de Literatura Comparada da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Lucchesi tem pós-doutorado em Filosofia da Renascença na Alemanha. Formado em História pela Universidade Federal Fluminense (UFF), possui mestrado e doutorado em Ciência da Literatura.
Colaborador de importantes órgãos de imprensa, atualmente é colunista do jornal O Globo. Foi editor das revistas Poesia Sempre (Biblioteca Nacional), Tempo Brasileiro e da Revista Brasileira (ABL). É também conhecida a militância de Lucchesi em defesa dos direitos humanos – destaca-se sua participação em projetos literários e educacionais em presídios do Rio de Janeiro.
Seus livros mais recentes são O carteiro imaterial (ensaios), Clio (poesia) e O bibliotecário do imperador (romance). Lucchesi ganhou três Prêmios Jabuti, da Câmara Brasileira do Livro.
ABL

Comentários

Mais Visitadas

Papa Francisco sobre os direitos humanos: todos têm o direito de ser felizes

Dom Aloísio em nossos corações

O STF é uma vergonha

Diferenças entre instrução e educação