Projeto Os Cearenses estreia nova temporada com foco na música local

Estreia hoje uma nova edição de Os Cearenses, projeto audiovisual da TV O POVO e da Fundação Demócrito Rocha. O tema da temporada é “Canto de um povo”, cuja proposta é levar para a tela composições de artistas da música cearense das décadas de 1970 e 1980. O protagonismo é dado às canções de nomes como Fagner, Belchior, Ednardo e Fausto Nilo, entre outros. A temporada, dividida em três episódios, começa hoje e segue amanhã e sexta, sempre às 19 horas, no canal 48 da TV aberta.
“Os arranjos originais que escolhemos são imortais e, por isso, pensamos em convidar as pessoas que estão hoje fazendo a história do cenário da música para propor releituras”, explica Ronaldo Pessoa, diretor e produtor musical do projeto, detalhando ser o objetivo mostrar a atualidade dessas obras. Nesse contexto, o projeto agregou alguns destaques da cena autoral da atualidade para jogar luz em músicas que há décadas estão presentes no nosso imaginário popular. “Escolhemos o repertório com muita dificuldade, porque temos muitas músicas incríveis na nossa história”, completa Ronaldo.
O cantor e guitarrista Felipe Cazaux é um dos artistas convidados. “É fantástica a possibilidade de, mais uma vez, valorizar essas pessoas que são, de algum modo, pioneiros, porque iniciaram toda uma trajetória da Cidade e do Estado”, avalia. O vocalista da banda Mad Monkees cita como inspiração para o trabalho dele a obra de artistas como Fagner (“pelo trabalho musical, o arranjo das composições”) e Belchior (“pelas letras, pelo lado mais poético”). Em Os Cearenses, Cazaux apresenta versão de Cavalo Ferro (Ricardo Bezerra e Fagner). “A gente pegou a música e transformou num rock com pegada meio blues. Estamos muito satisfeitos com o resultado”, celebra, ao lado de Hamilton de Castro (baixo), PH Barcelos (bateria) e Felipe Mesquita (órgão Hammond).
Além de Felipe, participam do projeto Saimonn Rocha, Khalil Goch, Lorena Nunes, Nayara Rodrigues, Argonautas, Rebeca Câmara, Mel Mattos, Marcelo Justa e Zé da Zefa. “A proposta é ser vitrine para esses nomes. Eu já tive a oportunidade de trabalhar com muita gente de fora do Estado, mas os cearenses, sem dúvida, estão entre os melhores do Brasil”, elogia Ronaldo.
Quem apresenta a temporada é o jornalista Marcos Sampaio, editor do Vida&Arte. “Os Cearenses é um trabalho que tem vários alvos. Não só relembra canções que marcaram uma época, como abre espaço para outras que não ficaram famosas, o chamado lado b, e ainda traz uma nova geração, que também compõe, também marca sua época”, aponta. Marcos projeta: “Nessa temporada, esses artistas aparecem como intérpretes, mas nada impede que venha outra temporada falando dessa nova música que está sendo feita aqui”.
Além da TV, o programa chega também à Mucuripe FM 106.5. A temporada será apresentada em cinco episódios, sempre às 22 horas, de hoje até domingo — dia que terá edição especial com todas as canções que compõem a temporada. De 2009 até agora, Os Cearenses já produziu 34 docudramas divididos em cinco temporadas. Os programas contam a história de personagens, movimentos e fatos importantes do Estado.
Diretor de marketing do O POVO, Cliff Villar é o idealizador de Os Cearenses e comemora a renovação com essa sexta temporada. “A gente cria uma fotografia da nossa história e o projeto acaba tendo uma função educativa, pedagógica. A gente já tem várias vertentes, nós já fizemos tantos docudramas quanto videoaulas de história do Ceará para ser usada na sala de aula”, conta. Cliff completa: “É um projeto com muita densidade de informação. Costumo falar que esse é um projeto que fica para sempre, porque daqui a décadas a gente ainda vai ter um acervo de informação muito importante”, celebra.
Sobre a sexta temporada, Cliff destaca a possibilidade de pensar os programas também para a rádio. “Além de falar sobre as músicas, tem uma atualização desses clássicos, uma leitura de uma nova geração e é muito bom ver como esses artistas trabalham com esses elementos do passado, que não são intocáveis”, afirma ele, adiantando que o projeto vai ser apresentado ao vivo no Festival Vida&Arte.
Cliff destaca também que essa edição de Os Cearenses, ao tratar da música, quis evidenciar a história viva. “Começamos a aproximar mais esse processo da nossa discussão da história recente. Existe uma contemporaneidade que é importante para a gente”. Para o gestor, o programa pode ser start para outros movimentos: “Talvez a gente esteja incentivando o surgimento dos novos letristas, compositores, instrumentistas, intérpretes. Mostrando que o Ceará é uma terra que já frutificou coisas muito bacanas, está na hora de outra geração vir e dar sua contribuição”, convida.

MÚSICAS
OS CEARENSES
Revelação, por Saimonn Rocha
Morena Penha, por Khalil Goch
Cavalo Ferro, por Felipe Cazaux
Artigo 26, por Lorena Nunes
Traduzir-se, por Nayara Rodrigues
Mucuripe, por Argonautas
Meninas do Brasil, por Rebeca Câmara
Asa Partida, por Mel Mattos
Enquanto engoma a calça, por Marcelo Justa
Pedras que cantam, por Zé da Zefa.

SERVIÇO
Os Cearenses
Quando: Na TV O POVO, de hoje, 25, até sexta-feira, 27, sempre às 19 horas. (com reprise nos dias 30 de abril, 1º e 2 de maio, também às 19 horas). Na Mucuripe FM 106.5, de hoje até domingo, às 22 horas.
Informações: os episódios estão disponíveis no site: oscearenses.com.br
RENATO ABÊ

O Povo

Comentários

Mais Visitadas

O Irmão Carlos de Foucauld

Há 50 anos, primeira mulher negra era eleita ao Congresso nos EUA

Memorial do Holocausto lembra 80 anos da Noite dos Cristais em SP

MASP completa 50 anos de histórias

Escreve Pe. Jocy - Dom Delgado