Pular para o conteúdo principal

Uece oferta curso de hebraico como oportunidade para conhecer cultura dos judeus

Quando se aprende um novo idioma, você consequentemente conhece a cultura de um povo. É que a língua tem capacidade de preservar essa identidade. Esta característica, presente no processo de aprendizado, foi o que motivou a aposentada Maria Socorro a se matricular em curso de hebraico, ofertado pelo Laboratório de Estudos e Pesquisas Orientais da Universidade Estadual do Ceará (Uece).
Para ela, é uma oportunidade de conhecer um pouco da cultura dos judeus. “Comecei a ler a respeito sobre a língua e a garra do povo hebreu, e me impressionou. Eles sofreram muito. Sobreviveram ao holocausto e conseguiram reconquistar seu território, apesar dos problemas com a Palestina. É um povo valente”, explica.
Com essa admiração, a estudante do primeiro semestre do curso de hebraico já está com passagens compradas para Israel, onde o idioma é falado. A ideia é poder ver de perto essa cultura que, para ela, é resistente. “Quero ver lá, porque me impressiona muito como eles conseguiram preservar os seus ritos, costumes e culinária”, ressalta.
Apesar do desejo, o idioma é bem diferente das línguas ocidentais. Não há vogal e a escrita é feita da esquerda para a direita, ao contrário do português. “É outro alfabeto. Alguns judeus, há muito tempo, fundaram uma espécie de academia de letras para resgatar e preservar a língua”, informa.
Maria faz parte da turma de 15 alunos matriculados no primeiro semestre do curso, ofertado desde 2014, em Fortaleza. Entretanto, devido ao grau de dificuldade do idioma, as turmas chegam até o terceiro semestre com seis pessoas, segundo o coordenador do laboratório da Uece, Antônio Guerra.
A motivação para aprender o idioma varia. Há aqueles que têm o interesse de conhecer por conta da religião, enquanto outros têm o mesmo objetivo de Socorro, conhecer outra cultura.
“O hebraico está mais ligado às igrejas evangélicas, porque tem o interesse bíblico, ou para pessoas que queriam aprender uma nova língua”, cita o professor. O curso compõe a lista dos cinco idiomas orientais disponibilizados pela Uece, incluindo ainda russo, chinês, coreano e árabe.
Serviço
Curso Hebraico
Local: avenida Luciano Carneiro, nº 345 – campus Fátima
Contato: (85) 9 9676-3407
Horário: aos sábados, das 8h às 11h15

Tribuna do Ceará

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE 2016.06.08

Campus Party 2018 vendeu 30% a mais de ingressos que edição anterior

A feira de tecnologia Campus Party Brasília 2018 foi encerrada hoje (1°), após ter reunido milhares de pessoas em torno de palestras, oficinas e atividades com temas como o uso da tecnologia da computação, robótica, empreendedorismo e startups. Essa é a segunda edição do evento em Brasília, que começou no dia 27 de junho, no Estádio Nacional Mané Garrincha. Antes prevista para acontecer de 30 de maio a 3 de junho, a feira foi adiada para esta semana por causa da greve dos caminhoneiros. De acordo com o diretor da Campus Party Brasil, Tônico Novaes, o evento contabilizou um volume de vendas de ingressos pelo menos 30% maior que a primeira edição da Campus Party em Brasília, realizada no ano passado.  Para Tônico Novaes, a edição no Distrito Federal se destacou pela elevada participação e envolvimento dos que estão no evento.  “Os campuseiros daqui são realmente engajados no conteúdo. Andando por aqui você vai ver todos os workshops e bancadas cheias e a estrutura está bem maior que a …