Cantor Falcão protagoniza série que vai mostrar o interior do Brasil

Quais elementos constituem uma identidade verdadeiramente brasileira? Seus detalhes, costumes, cores e, sobretudo, pessoas? Tendo como estopim a pergunta-provocação “o que faz o Brasil ser o Brasil?”, Ives Albuquerque, diretor da Gavulino Filmes, idealizou Brasil Joiado. A série, dividida em 13 episódios (com 26 minutos de duração, cada), pretende revelar “um Brasil que você já conhece mas de um jeito que você nunca arreparou” - encontra-se em fase de gravações, mas só será exibido a partir de 2019 pelo canal Cine Brasil TV (Sky). A apresentação ficou a cargo do cantor e humorista Falcão.
“Há cinco anos, peguei o telefone e liguei para o Falcão para conversarmos sobre projetos audiovisuais. Eu tinha várias ideias na cabeça, ele também, e apresentei essa de um programa que saísse desbravando o País. Depois de muito pensar, chegamos a uma espécie de turnê improvisada do Falcão pelo Brasil, reunindo pessoas interessantes, artistas, pessoas ‘fora da caixa’. O Brasil Joiado seria esse Brasil que está fora da caixa com pessoas que pensam diferente, bacanas e boas de se conversar”, explicou Ives ao O POVO.
A série tem na ‘catilogência’ do apresentador seu grande trunfo. “É muito espelhada na figura do Falcão. Uma das coisas que eu queria era que refletisse a personalidade dele, tanto nas cores do projeto, quanto no que está sendo encontrado. O Falcão é uma figura incrivelmente carismática e o Brasil Joiado seria essa brasilidade do Brasil, vamos dizer assim, sob o olhar dele”, enfatiza o diretor, que também assina o roteiro ao lado de Tarcísio Matos e Lays Antunes. Mais de 20 profissionais integram a equipe, cuja direção de fotografia é de Eusélio Gadelha Oliveira, o “Xuxu”, e a produção executiva de Íris Sodré. A série é viabilizada com recursos oriundos do Fundo Setorial do Audiovisual-Prodav.
Até agora, Brasil Joiado encontra-se focado no Nordeste, explorando aos poucos cerca de 15 cidades em duas grandes viagens.
FOTOS GABI MADEIRO/ DIVULGAÇÃO
FOTOS GABI MADEIRO/ DIVULGAÇÃO
“A gente rodou o Ceará gravando sete programas, e esta segunda viagem, quando iremos concluir a primeira etapa com mais seis programas, irá passar pela Paraíba, Pernambuco, Alagoas e Sergipe. Todo esse percurso teve uma pré-produção para saber quais seriam os estados e quais as cidades escolhidas. Por uma questão de logística, não conseguimos a Bahia. Ficaram de fora ainda o Piauí e o Maranhão”, afirmou Ives.
A bordo do ‘Falcomóvel’ (um fusquinha tão colorido e chamativo quanto o figurino do protagonista), Falcão percorre distritos, vilas e municípios do interior do Nordeste brasileiro e, até o presente momento, já deparou-se com personalidades conhecidas do público, como o artesão e mestre cearense Espedito Seleiro, a artesã Maria Lourdes Cândido, a Banda Cabaçal dos Irmãos Aniceto (já em sua quarta geração), o sanfoneiro Joquinha Gonzaga (sobrinho do ‘rei do baião’), os compositores Abidoral Jamacaru, João do Crato, Luís Fidélis, entre outros tantos ainda desconhecidos do grande público.
“Ficamos uma média de três dias em cada cidade e, ao final, o Falcão faz um show com os artistas daquela região. A princípio, eu ficava pensando se iria dar certo. Será que as coisas vão se encaixar nessa proposta? O Brasil não é só o Nordeste. A gente sabe que encontra essa pluralidade, essa brasilidade no País todo. Pretendemos finalizar no final de 2018 e, daí, entregamos o material para a Cine Brasil TV, que é um canal de cunho cultural e tem tudo a ver com a nossa proposta. A previsão é de que no primeiro semestre de 2019 a série seja veiculada. Está ficando bonito”, garantiu Ives.

Brasil Joiado
O quê: série não-ficcional para TV com 13 episódios (26 minutos de duração, cada)
Acompanhe os bastidores nas redes sociais: @brasiljoiado / @cinebrasiltv
www.gavulinofilmes.com.br
TERESA MONTEIRO

O Povo

Comentários

Mais Visitadas

Papa Francisco sobre os direitos humanos: todos têm o direito de ser felizes

Dom Aloísio em nossos corações

O STF é uma vergonha

Diferenças entre instrução e educação