Pular para o conteúdo principal

Congresso Nacional celebra literatura piauiense

Plenário do Senado Federal durante sessão solene do Congresso Nacional destinada à comemoração do centenário da Academia Piauiense de Letras (APL).  Em posição de respeito, convidados e parlamentares acompanham execução do Hino Nacional.  Mesa: desembargador do Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região, Carlos Pires Brandão; deputado Paes Landim (PTB-PI); vice-governadora do Piauí, Margarete Coelho; presidente e requerente da sessão, senador Elmano Férrer (Pode-PI); senadora Regina Sousa (PT-PI); presidente da Academia Piauiense de Letras (APL), Nelson Nery Costa; presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) Seccional Piauí, Francisco Lucas Costa Veloso; membro da Academia Piauiense de Letras (APL) e senador no período de 1987 a 2001, Hugo Napoleão.  Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado
Marcos Oliveira/Agência Senado
O Congresso Nacional realizou nesta segunda-feira (21), no plenário do Senado, uma sessão em homenagem aos 100 anos de existência da Academia Piauiense de Letras (APL).
Requerente da sessão, o senador Elmano Ferrer (Pode-PI) destacou que a cultura é o maior patrimônio de uma sociedade, e que a APL tem o reconhecimento da população do Estado pelo papel que cumpre na preservação e divulgação de sua literatura e pela atuação marcante que possui no ambiente cultural piauiense.
— A história da APL imbrica-se com a história de nossa cultura durante estes 100 anos. A Academia cumpre com louvor esta missão de honrar o passado, construir o presente e semear o futuro desta cultura — pontuou Ferrer, acrescentando que passaram pela APL nomes que marcaram as letras também a nível nacional, como o economista João Paulo dos Reis Velloso e o jornalista Carlos Castello Branco, entre outros.

Livros e cordel

Durante a homenagem, a senadora Regina Sousa (PT-PI) comunicou aos acadêmicos presentes que apresentou dois projetos buscando valorizar os livros e a literatura de cordel. O primeiro determina a instalação de um pequeno acervo de livros paradidáticos e de literatura infantil em todas as salas de aula do 1º ao 5º ano do ensino fundamental (PLS 158/2016). O objetivo é incentivar o gosto pela leitura nas crianças e desburocratizar as bibliotecas.
A segunda proposta, para a qual Regina também pediu apoio, é o PLS 138/2018, que inclui o estudo da literatura de cordel, do repente e de outros cantos de improviso no currículo da educação básica.

Vanguarda e periferia

O atual presidente da APL, Nelson Nery, ressaltou o papel de vanguarda cumprido pela instituição já em 1918, que nesta época realizou eventos sobre o anticlericalismo, a Revolução Russa e o marxismo, além da emancipação dos direitos das mulheres.
— Amélia Bevilácqua foi uma das primeiras acadêmicas da APL, numa época em que a Academia Brasileira de Letras não admitia sequer que as mulheres concorressem a alguma vaga existente.
Nery ainda mencionou a atuação do Museu da Cultura Literária Piauiense, gerido pela APL, que tem realizado eventos voltados para os jovens, para moradores de periferia e também para quem vive em cidades do interior. Ele lembrou que o auditório da APL em Teresina continua sendo o principal centro de lançamento de novas obras produzidas pelos escritores do estado.
O deputado Paes Landim (PTB-PI), outro requerente da sessão, citou que também fizeram parte da APL em sua história o jornalista Odylo Costa Filho e o ex-presidente do Senado, Petronio Portela. Também esteve presente o ex-senador Hugo Napoleão, que é membro da academia.
Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE 2016.06.08