Escritor de Cabo Verde recebe Prêmio Camões de 2018

Principal premiação da literatura
Brasil tem 12 prêmios; Portugal, 13
Banca avaliadora anuncia o vencedor da 30ª edição do Prêmio Camões, em LisboaReprodução/Twitter
O escritor de Cabo Verde Germano Almeida, 73 anos, recebeu nesta 2ª feira (21.mai.2018) o Prêmio Camões de 2018. É o 2º cabo-verdiano a vencer. Escreveu obras como “A Ilha Fantástica”, “Os Dois Irmãos” e “O testamento do sr. Nepomuceno da Silva Araújo”. Os 2 últimos foram adaptados para o cinema.
O prêmio foi anunciado no Hotel Tivoli, em Lisboa. O júri foi composto por representantes dos países que falam a língua portuguesa.
  • Maria João Reynaud, professora da Faculdade de Letras da Universidade do Porto (Portugal);
  • Manyel Frias Martins, professor da Faculdad de Letras da Universidade de Lisboa (Portugal);
  • Leyla Perrone-Moisés, professora da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (Brasil);
  • José Luís Jobim, professor aposentado da Universidade Federal Fluminense e da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Brasil);
  • Ana Paula Tavares, poeta e professora da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (Angola);
  • José Luís Tavares, poeta (Cabo Verde).
O Prêmio Camões é o mais importante da literatura na língua portuguesa. Foi criado em 1989 e tem o valor de € 100 mil (R$ 436 mil). No ano passado, o poeta e romancista português Manuel Alegre foi o vencedor.
O Brasil já levou 12 edições. Os vencedores são: João Cabral de Melo Neto (1990), Rachel de Queiroz (1993), Jorge Amado (1994), Antônio Cândido (1998), Autran Dourado (2000), Rubem Fonseca (2003), Lygia Fagundes Telles (2005), João Ubaldo Ribeiro (2008), Ferreira Gullar (2010), Dalton Trevisan (2012), Alberto da Costa e Silva (2014) e Raduan Nassar (2016).

Comentários

Mais Visitadas

LAMENTAÇÕES DE UM LÁPIS

MEU PROFESSOR: MEU SUPER-HERÓI

Morre, aos 92 anos, a escritora Zibia Gasparetto

A Palavra Não