I Mostra Literária Professora Glorinha Sá Rosa fez Campo Grande afirmar-se na paisagem brasileira

A I Mostra Literária Professora Glorinha Sá Rosa fez Campo Grande afirmar-se na paisagem brasileira em suas mais autênticas e legítimas manifestações artístico-culturais. Em princípio, um evento de sugestão literária, inspirado na trajetória da cearense que fez desta cidade o seu lar e o seu abraço na alma poética de seus contemporâneos de ontem e dos dias que viriam: Glorinha, que tinha 88 anos quando foi prosear nas alturas com os anjos de sua inesgotável inspiração, fez da Literatura um entremeio dinâmico e generoso com as diversas formas de expressão cultural: música, dança, pintura, teatro. Enfim, era raiz e reflexo das inventivas maneiras humanas de respirar em suas dores, prazeres e sonhos, dos mais prosaicos aos de distantes utopias.
Não por acaso, a iniciativa da União Brasileira de Escritores (UBE-MS) e Quiquiô Produções, com financiamento do Fundo Municipal de Investimentos Cultura, propôs de 10 a 13 deste mês um rasgo de acessibilidade popular aos vários espaços e expressões. No Sesc Morada dos Baís, um desfile de nobres e simples excelências da música, da representação e do pensamento: Grupo Casa, Slam Campão, Iara Rennó, Ninfa Parreiras, Cida Moreira, Grupo Guavira, Estrela Leminski e Alice Ruiz (filha e viúva de Paulo Leminski), Alzira Espídola, Albana Xavier, Lucilene Machado, Moema Vilela, raquel Naveira, Pietro Lara e Américo Calheiros.
Na composição da Mostra, outros programas foram cupridos, entre os quais uma gincana escolar (na agenda Ângela Colognesi, Sylvia Cesco e Mara Calvis), a Oficina Livre de Tradução, com Chsristian Schwartz e as Oficinas de Literatura nas Escolas, com os escritores Elias Borgfes, Edson Moraes e Rubênio Marcelo.
NOVA LIMA – Coube ao jornalista e poeta Edson Moraes dirigir a oficina “Dê Palavra, a estudantes da Escola Municipal Hércules Maymone, no Bairro Nova Lima. O espaço da Biblioteca Ramão Cabral foi ocupado por pré-adolescentes e adolescentes curiosos, inquietos, mas interessados e revelando que entre aqueles muros respira-se – e inspira-se – um ajuntamento de almas sedentas de conhecimento, de alargamento de convivências, de criação de alternativas aos risos e sonhos, de vontade de crescer.
Para Edson Moraes, a presença marcante dos alunos e o empenho de toda a comunidade escolar foram para ele um rico aprendizado e confirmou: alguns paradigmas que cercam e estigmatizam a periferia das cidades estão sendo quebrados. O interesse pela literatura estava aceso no olhar de crianças cujo mundo é dominado pela magia da comunicação eletrônica. Meninos e meninas que foram à oficina para dizer, na palavra oral e na palavra gestual, que querem caminhar em territórios muito mais amplos e libertários, territórios em que a literatura, o ler, o escrever, o declamar, a biblioteca sejam elementos conceituais e formadores de seu processo de crescimento e busca da cidadania.
“Eu aplaudo essa moçada e rendo minhas homenagens a toda direção, mestres e administrativos da Hércules Maymone. E destaco aqui o apoio da diretora Maria Nimer, da coordenadora Adriana passos e do professor Nizael Almeida, que já haviam realizado ali mesmo outras experiências semelhantes para promover não a literatura em si, mas o que ela representa no universo de nossas possibilidades”, afirmou Edson Moraes.
REENCONTROS – No sábado, 11, segundo dia da Mostra Literária Glorinha Sá Rosa, encontros e reencontros emocionantes. Edson Moraes e Geraldo Espíndola se incensaram mutuamente e o jornalista e poeta não segurou o choro ao rever a esposa do compositor e intérprete, Dalila Saldanha. Passaram-se 47 anos até chegar esse instante. A amizade entre Edson e Dalila começou em 1971, quando foram colegas de classe na Escola São José, em Ponta Porã. Um reencontro que vinha sendo acalentado há tempos e virou letra de música.
Também prazerosos foram os encontros com os notáveis literatos Augusto César Proença, Lucinele Machado, André Luiz Alvez (presidente da UBE-MS), Sylvia Cesco e outras figuras de proa das artes e da literatura.

Comentários

Mais Visitadas

Erasmo Carlos tem retratados seus dias de Jovem Guarda em 'Minha Fama de Mau'

Monteiro Lobato é tema de contação de histórias em livrarias de São Paulo

Filme 'No Portal da Eternidade' faz da loucura do artista Vincent van Gogh um caso de lucidez

Vocação de pescadores de homens

Prêmio Sesc de Literatura encerra inscrições na quinta-feira (14)