Mistério da Santíssima Trindade

Padre Geovane Saraiva*


No mistério da Santíssima Trindade, encontra-se o eixo central da fé e da vida cristã, na revelação de Deus como Pai, Filho e Espírito Santo. Nosso Senhor Jesus Cristo foi quem nos revelou tão excelso mistério, falando-nos do Pai, do Espírito Santo e d’Ele próprio. Longe de pensar numa verdade produzida pela Igreja, mas revelação do Filho, compreendendo-a como inesgotável mistério de amor, verdade revelada por Deus. Tomemos a simplicidade de uma criança, ao interpelar Santo Agostinho, enquanto meditava sobre o mistério da Santíssima Trindade: “Eu te digo, é mais fácil colocar toda a água do oceano neste pequeno poço na areia do que a inteligência humana compreender os mistérios de Deus”.

Resultado de imagem para imagem da santissima trindadeA história da humanidade se divide em duas partes: antes de Cristo e depois de Cristo.  Na encarnação do Verbo, temos o fim de uma era e o começo de uma nova, com a humanidade peregrinando na história, na qual, nos nossos dias, somos chamados a contemplar Jesus na montanha sagrada, no seu encontro com o Pai, dizendo-nos que devemos ir ao mundo, mas no sentido de transformá-lo. É que Deus nos fala por meio da história e nos chama à conversão, que quer de nós o anúncio da salvação.

Que Deus nos dê um pouco da alma grande e elevada de Santo Agostinho, quando desejarmos encontrar explicações plausíveis sobre o mistério da Santíssima Trindade; nós que fomos batizados em nome da Trindade Santa. Reconheçamos, pois, Deus como Senhor da vida, Pai da criação e de todos. Jesus, o Emanuel, o Deus conosco, assegura-nos, como seus seguidores, sua presença em nosso meio, fundamentada nas suas palavras, dirigidas à Igreja na pessoa dos doze: “Assim como o Pai me enviou, também Eu vos envio” (Jo 20, 21).

Por Jesus de Nazaré, Deus Pai realiza o sonho da pessoa humana radicalmente livre, restaurando a comunhão, dando-lhe resposta e sentido à vida, convencendo-a de que no seu mistério de amor a criatura humana é chamada a um permanente e estreito diálogo, pelo anúncio da esperança e do perdão, na busca da verdade e da paz. Voltados ao mistério da Santíssima Trindade, pelo nosso modo de viver, identificado com Jesus de Nazaré, na alegria e na confiança de que sua palavra é eterna: “Eis que eu estarei convosco todos os dias, até o fim do mundo”. Assim seja!

 *Padre, Jornalista, Colunista e Pároco de Santo Afonso, Parquelândia, Fortaleza-CE. Da Academia Metropolitana de Letras de Fortalezageovanesaraiva@gmail.com

Comentários

Mais Visitadas

Papa Francisco sobre os direitos humanos: todos têm o direito de ser felizes

O STF é uma vergonha

Dom Aloísio em nossos corações

Além das aparências