Pular para o conteúdo principal

POEMA DO TRABALHADOR

ADELINO BORGES.JPG
ADELINO BORGES 
 .
Hoje, Maio, surges em flor
Hoje já a tantos deixas pena
E a custo te vão esquecendo o amor
Por isso eu te escrevo este poema.

Porque d’um poema se modifica a alma
Neste Maio, florido e incerto
O poema aconselha que se mantenha a calma
E é assim que do meu sentir isso desperto.

Sei que por aqui não se vê amor
Neste Maio de Maria iniciado
Mas poderemos respirar da melhor flor
Vendo o trabalhador com este dia festejado.

Assim, sentiremos a nossa  paixão
No poema que apazígua a dor encontrada
Teremos a força que outros nos trarão
Para reforçar o que na alma está abalada.

Por promessas e outras promoções
Hoje desvirtuaram de maior atenção
Porque o dia de hoje é de todas as Nações
E se festeja com alegria e oração.

Assim o povo vai ficando parado
A ver os centros de portas abertas
Esquecendo como ele fora conquistado
E se entusiasma com míseras ofertas.

Mas este dia é o único do Povo
Do povo trabalhador arduamente
E nunca poderá ser destruído pelo lobo
Que continua atacando ferozmente.

Mas o poema vai crescendo até longe
Como nos atormenta o descontentamento
Porque de tão perto se  esconde o monje
Esperando-nos um maior sofrimento.

E assim se vai esquecendo a caminhada
De tudo quanto é Mundo operário
Nas  ruas já a maior parte vai calada
Não se vendo o movimento contestatário.

Então  manifestando o meu grande amor
Estou escrevendo para tantos este poema
Leva a esperança e recorda o valor
De  quem lutou para viver se  valeu a pena.
  Barreiro, 01-05-2012
REFLEXÃO:
Este poema irá despertar a alma de um qualquer trabalhador, pois é o seu dia… Porque um poema poderá aliviar a dor a quem se estende, e cada vez com menos espaço para seguir os seus objetivos no trabalho… Porque um poema poderá inundar-lhe a alma, e restituir a esperança que vai perdendo.
Ainda que reine alguma confusão momentânea pela perca da liberdade, no poema vai ânimo, dedicação, carinho e, acima de tudo, a esperança de se continuar firme a lutar!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE 2016.06.08