Prêmio Ceará Encena homenageia destaques do Teatro Cearense

Aderbal Freire Filho,diretor teatral, ator e apresentador de televisão, será um dos homenageados (Foto: Divulgação)
O grupo Arte de Viver apresenta nesta quarta-feira, 23,"O Grande Encontro do Teatro Cearense". Trata-se da 4ª edição do Prêmio Ceará Encena, criado pela própria companhia em 2015. A premiação, que comemora os dezoito anos de trajetória do grupo, destaca e homenageia artistas cearenses de todo o Estado.
 
Nesta edição, os artistas escolhidos pela comissão julgadora do prêmio, disputarão em três categorias. A primeira delas é a de formação, destinada a reconhecer trabalhos que integram montagens, espetáculos ou performances teatrais cearenses, apresentadas na conclusão de curso técnico, profissionalizante e/ou superior, voltadas ao grande público. Esta categoria é composta por cinco subcategorias de premiação: ator, atriz,autor/texto, direção e espetáculo.  
 
A segunda é a categoria principal, composta por quinze subcategorias, como revelação masculina, feminina, ator, atriz, ator coadjuvante, atriz coadjuvante, iluminação, som/trilha, cenário, figurino/composição, autor/texto, direção, produção, espetáculo infantil e espetáculo adulto. Para concorrer, os artistas desta esfera precisam integrar algum espetáculo teatral cearense que não tenha sido apresentado como conclusão de curso/oficina ou concorrido em anos anteriores, mas que, também, sejam voltados ao grande público.
 
Além destas categorias, a solenidade irá homenagear os artistas Aderbal Freire Filho, Jane Azeredo, Marcus Fernandes e Oswald Barroso. Eles fazem parte da última categoria, a especial. Os selecionados neste âmbito receberão o troféu Arte de Viver como reconhecimento por seus trabalhos e importância na construção e manutenção da cena teatral no Ceará.
 
A banca julgadora do evento avaliou 45 espetáculos, entre formação e principal, voltados tanto para crianças, quanto adultos e o público em geral. O Prêmio Ceará Encena é comenda de abrangência estadual que visa reconhecer publicamente aqueles que se destacaram em suas mais variadas funções na cena teatral cearense, dentro e fora dos palcos.
 
Conheça os homenageados 
Aderbal Freire Filho 
É fortalezense, diretor teatral, ator e apresentador de televisão. Fundador do Grêmio Dramático Brasileiro, 1973, e do Centro de Demolição e Construção do Espetáculo (CDCE), 1989. Já dirigiu a versão brasileira de clássicos, como "Hamlet e Macbeth", de Shakespeare, e "Moby Dick", de Herman Melville. Na televisão, em 2014, atuou na série Dupla Identidade, na Tv Globo, e apresentou, até o início de 2017, o programa "Arte do Artista " na Tv Brasil.
 
Jane Azeredo
Jane não é cearense, mas chegou a Fortaleza ainda na década de 1960. Iniciou nas artes cênicas ainda adolescente. Ao interpretar a peça Lucíola, adaptação da obra de José de Alencar, na extinta TV Ceará Canal 2, foi acusada de dançar nua na televisão, um verdadeiro escândalo para a época. Após a polêmica na televisão, participou de filmes como "Milagre em Juazeiro", de Wolney Oliveira, "O Quinze", de Jurandir de Oliveira, e "Eu não conhecia Tururu", de Florinda Bolkan, entre outros.  Ela também atuou em peças infantis, dentre elas, "Revolta dos animais" em que contracenou com Ary Sherlock e Emiliano Queiroz. Em 2012, como comemoração aos seus 52 anos de carreira, Jane Azeredo apresentou no Theatro José de Alencar, o monólogo “Faces de uma atriz”.
 
Marcus Fernandes
Escritor ,poliglota,pianista, locutor de rádio, revisor de jornais e ator. São adjetivos que complementam o perfil de Marcus Fernandes. Ele é produtor de textos teatrais e lançou, em 2015, o livro “Vinte e dois pontos de Severino”, no Náutico Atlético Cearense.  O pairaibano que reside em Fortaleza há 60 anos, já atuou na novela ‘Final Feliz’,da rede Globo, gravada no Ceará, em 1982.
 
Oswald Barroso
É escritor, poeta, jornalista e teatrólogo. Cearense nascido na Capital, tem vinte e cinco publicações dentre as quais se destacam os livros: Almanaque Poético de uma Cidade do Interior (1982), Reis de Congo - Teatro Popular Tradicional (1997), Memória do Caminho (2006), Dormir Talvez Sonhar (2007) e Entre Ritos, Risos e Batalhas (2011). E os textos para teatro, como “A Irmandade da Santa Cruz do Deserto”(1987), “A Farsa do Diabo que queria ser gente” (2011), dentre outros. Já foi diretor do Theatro José de Alencar e do Museu da Imagem e do Som e recebeu, em 1996, o Prêmio Estímulos à Dramaturgia – FUNART.
 
Serviço
4ª Edição do Prêmio Ceará Encena
Quando: 23 de maio as 19h30min
Onde: Theatro José de Alencar (Rua Liberato Barroso, 525 - Centro, Fortaleza/Ce)
Aberto ao público
Telefone: 3101-2583
 
INGRID THAIS
O Povo

Comentários

Mais Visitadas

Erasmo Carlos tem retratados seus dias de Jovem Guarda em 'Minha Fama de Mau'

Monteiro Lobato é tema de contação de histórias em livrarias de São Paulo

Filme 'No Portal da Eternidade' faz da loucura do artista Vincent van Gogh um caso de lucidez

Vocação de pescadores de homens

Prêmio Sesc de Literatura encerra inscrições na quinta-feira (14)