Pular para o conteúdo principal

Sebastião Salgado em tela na Caixa Cultural

Cena do documentário "Sebastião Salgado", realizado por um grupo de alunos da ONG Casa da Vovó Dedé, a partir da exposição do fotógrafo na Caixa
No próximo domingo (20) encerra-se a exposição "Êxodus", do fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado, na Caixa Cultural Fortaleza. Para aproveitar o ensejo, o espaço exibe um documentário sobre o artista.
Produzido pelos jovens da Casa da Vovó Dedé, a produção intitulada "Sebastião Salgado" será exibida ao público hoje (16), às 14h.
Após a sessão, o equipamento realiza uma roda de debate mediada pela Gente Arteira, programa educativo da Caixa Cultural Fortaleza, e pelo professor da Casa da Vovó Dedé, Augusto Lessa, que foi o facilitador dos jovens durante a produção do documentário.
"O assunto será tratar sobre a diversidade das culturas, a importância deles no processo histórico e suas posições na vida. (Sobre o autor), falaremos desde a qualidade técnica da fotografia até - e mais importante - sua visão humana", aponta Augusto Lessa.
A exibição e o debate são abertos ao público e, além dos alunos da Casa de Vovó Dedé e seus familiares, contarão com a participação de alunos do ensino médio de uma escola particular de Fortaleza.
Audiovisual
Com duração de 4 minutos e 30 segundos, o documentário usa de uma linguagem nova, com aposta no silêncio, intercalado pela música coordenada por Marco Aurélio Pinagé, ex-aluno do projeto.
"Nossa fala foi o silêncio. Achei que palavras quebrariam o clima. O documentário passa algo doloroso, mas que não perde a esperança. É uma coisa tribal, onde música e imagem se completam. Fico meio emocionado porque eles dominaram e entenderam tudo", orgulha-se Lessa.
"Na verdade, é mais que um documentário, é uma homenagem ao Sebastião Salgado e aos que se importam com o ser humano", conclui.
A produção audiovisual é assinada pelos alunos Arnaldo Rodrigues, Natanael Gomes, Johnatan Ferreira, Gustavo Costa, Rodrigo Alves e João Victor Rodrigues.
Processo de criação
A ideia do documentário sobre o fotógrafo partiu de Augusto Lessa, ao saber que a exposição "Êxodus" viria para Fortaleza, em marco deste ano.
"No dia seguinte juntei todo mundo e perguntei quem sabia quem era o Salgado. Quase ninguém. Aí comecei a falar de fotografia, fotógrafo de campo, de guerra. Separei o estúdio da rua e mostrei alguns documentários", conta.
" Foi amor imediato. A realidade deles não é tão diferente", ressalta o facilitador da Casa da Vovó Dedé. Em uma primeira fase na produção do documentário, os alunos da ONG foram visitar a exposição do fotógrafo na Caixa Cultura. "Eles ficaram tocados. Decidimos homenagear o Salgado. Foi assim", explica Lessa.
Da parte da Caixa Cultural, a recepção também foi mediata. "Numa das ocasiões em que mediamos as visitas, os meninos da Casa da Vovó Dedé vieram com câmeras. Ficamos sabendo que eles haviam feito um pequeno documentário sobre Sebastião Salgado. Como esta é a última semana da exposição, resolvemos aproveitar o momento para mostrar o trabalho dos jovens da instituição", comenta Luciana Rodrigues, coordenadora pedagógica do Gente Arteira.
Mais informações
Exibição de documentário sobre Sebastião Salgado. Hoje (16), às 14h, na Caixa Cultural Fortaleza (Av. Pessoa Anta, 287, Praia de Iracema). Gratuito.
Diário do Nordeste

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE 2016.06.08