Vaticano lança livro com 80 notícias falsas sobre o Papa

Iniciativa está associada ao Dia Mundial das Comunicações Sociais que este ano teve como tema as «fake news»
O Vaticano retomou ontem, 26, o tema do Dia Mundial das Comunicações Sociais, este ano dedicado às ‘fake news’, com o lançamento de uma compilação de notícias falsas publicadas acerca do Papa Francisco.
De acordo com o serviço informativo da Santa Sé, a obra ‘Fake Pope’ está disponível desde esta sexta-feira nas bancas, e tem a assinatura dos jornalistas italianos Nello Scavo e Roberto Beretta.
Recorde-se que Nello Scavo é o autor da obra ‘A Lista de Bergoglio’, dedicada ao apoio que o Papa Francisco prestou a várias vítimas da ditadura argentina.
Trata-se de uma publicação que foi lançada precisamente na altura em que o nome de Jorge Mario Bergoglio estava a ser alvo de acusações de cumplicidade com o regime, quando ainda era arcebispo de Buenos Aires.
Nello Scavo salienta que o livro ‘Fake Pope’ pretende ir na mesma linha, de denunciar através de documentos, “os muitos boatos sobre o Papa que circulam na internet e em outros meios de comunicação”.
Este projeto mais recente, também assinado pelo jornalista Roberto Beretta, “é dirigido não apenas a comunicadores, mas ao público em geral”.
“Qualquer curiosidade sobre fake news pode ser encontrada com explicações e modos para aprofundar o tema”, pode ler-se.
Nas suas páginas estão incluídas mais de 80 acusações feitas ao Papa, desde “o período da ditadura argentina até à atualidade”.
“Selecionamos uma a uma e fizemos uma verificação por meio de confrontos de depoimentos e desmentidos. Por fim procurámos um fio condutor entre as notícias para chegarmos à conclusão de alguns dos boatos nascem de forma espontânea e outros são fruto de uma estratégia bem definida para desacreditar o Papa”, explica Nello Scavo.
Outra iniciativa através da qual a Santa Sé quer reforçar a temática do Dia Mundial das Comunicações Sociais, assinalado a 13 de maio, tem a forma de um concurso vídeo e gráfico aberto a participantes dos mais variados países.
A iniciativa é promovida pela Secretaria de Comunicação da Santa Sé em parceria com a SIGNIS – Associação Católica Mundial para a Comunicação.
Os organizadores esperam que, através da rede mundial dos meios de comunicação católicos, “talentos de todo o mundo possam mostrar o seu trabalho” e dar um contributo para esta “temática tão importante”, da verdade nos media.
“Esperamos que esta competição alente e motive os fiéis, especialmente os jovens, a contribuir criativamente para o tema”, realça a presidente da SIGNIS, Helen Osman.
O projeto vai premiar os melhores vídeos e pósteres levados a concurso, no âmbito da temática que animou o 52.º Dia Mundial das Comunicações Sociais, ‘A verdade vos tornará livres’ (João 8, 32) – ‘Fake news’ e jornalismo de paz’.
Os trabalhos em vídeo deverão ter no máximo um minuto, e tal como os pósteres deverão ser remetidos até 30 de setembro para o email signiscompetitions@gmail.com, sendo que a decisão sobre os vencedores será conhecida até ao final deste ano.
Para os três primeiros trabalhos, em cada área, estão reservados prémios entre os 100 e os 500 euros.
JCP

Comentários

Mais Visitadas

MEU PROFESSOR: MEU SUPER-HERÓI

Morre, aos 92 anos, a escritora Zibia Gasparetto

A Palavra Não

Dentro da rotina das redes sociais, mulheres dividem as dificuldades e os pontos positivos de expor a maternidade