Vaticano lança livro com 80 notícias falsas sobre o Papa

Iniciativa está associada ao Dia Mundial das Comunicações Sociais que este ano teve como tema as «fake news»
O Vaticano retomou ontem, 26, o tema do Dia Mundial das Comunicações Sociais, este ano dedicado às ‘fake news’, com o lançamento de uma compilação de notícias falsas publicadas acerca do Papa Francisco.
De acordo com o serviço informativo da Santa Sé, a obra ‘Fake Pope’ está disponível desde esta sexta-feira nas bancas, e tem a assinatura dos jornalistas italianos Nello Scavo e Roberto Beretta.
Recorde-se que Nello Scavo é o autor da obra ‘A Lista de Bergoglio’, dedicada ao apoio que o Papa Francisco prestou a várias vítimas da ditadura argentina.
Trata-se de uma publicação que foi lançada precisamente na altura em que o nome de Jorge Mario Bergoglio estava a ser alvo de acusações de cumplicidade com o regime, quando ainda era arcebispo de Buenos Aires.
Nello Scavo salienta que o livro ‘Fake Pope’ pretende ir na mesma linha, de denunciar através de documentos, “os muitos boatos sobre o Papa que circulam na internet e em outros meios de comunicação”.
Este projeto mais recente, também assinado pelo jornalista Roberto Beretta, “é dirigido não apenas a comunicadores, mas ao público em geral”.
“Qualquer curiosidade sobre fake news pode ser encontrada com explicações e modos para aprofundar o tema”, pode ler-se.
Nas suas páginas estão incluídas mais de 80 acusações feitas ao Papa, desde “o período da ditadura argentina até à atualidade”.
“Selecionamos uma a uma e fizemos uma verificação por meio de confrontos de depoimentos e desmentidos. Por fim procurámos um fio condutor entre as notícias para chegarmos à conclusão de alguns dos boatos nascem de forma espontânea e outros são fruto de uma estratégia bem definida para desacreditar o Papa”, explica Nello Scavo.
Outra iniciativa através da qual a Santa Sé quer reforçar a temática do Dia Mundial das Comunicações Sociais, assinalado a 13 de maio, tem a forma de um concurso vídeo e gráfico aberto a participantes dos mais variados países.
A iniciativa é promovida pela Secretaria de Comunicação da Santa Sé em parceria com a SIGNIS – Associação Católica Mundial para a Comunicação.
Os organizadores esperam que, através da rede mundial dos meios de comunicação católicos, “talentos de todo o mundo possam mostrar o seu trabalho” e dar um contributo para esta “temática tão importante”, da verdade nos media.
“Esperamos que esta competição alente e motive os fiéis, especialmente os jovens, a contribuir criativamente para o tema”, realça a presidente da SIGNIS, Helen Osman.
O projeto vai premiar os melhores vídeos e pósteres levados a concurso, no âmbito da temática que animou o 52.º Dia Mundial das Comunicações Sociais, ‘A verdade vos tornará livres’ (João 8, 32) – ‘Fake news’ e jornalismo de paz’.
Os trabalhos em vídeo deverão ter no máximo um minuto, e tal como os pósteres deverão ser remetidos até 30 de setembro para o email signiscompetitions@gmail.com, sendo que a decisão sobre os vencedores será conhecida até ao final deste ano.
Para os três primeiros trabalhos, em cada área, estão reservados prémios entre os 100 e os 500 euros.
JCP

Comentários

Mais Visitadas

Erasmo Carlos tem retratados seus dias de Jovem Guarda em 'Minha Fama de Mau'

Monteiro Lobato é tema de contação de histórias em livrarias de São Paulo

Filme 'No Portal da Eternidade' faz da loucura do artista Vincent van Gogh um caso de lucidez

Vocação de pescadores de homens

Mostra inédita de Paul Klee começa quarta-feira em São Paulo