Vitrine Petrobras inicia programação de filmes nacionais no Dragão

O projeto Sessão Vitrine Petrobras funciona para apresentar obras que, segundo a distribuidora Vitrine Filmes, facilmente despertam o interesse do público pelo cinema nacional. Esses longas são considerados clássicos instantâneos, logo que estrearam recentemente, possuem baixo orçamento e apresentam inovação no processo criativo.
A Petrobras entra nessa possuir um elo forte com o cinema nacional.
A marca patrocinou mais de 500 filmes brasileiros durante os últimos anos. Isso fortaleceu a procura da Vitrine em assinar uma parceria. Desde 2016, a união entre a marca e a distribuidora é notada por uma habilidade de levar o espectador ao cinema, através de sessões com debates e com o ingresso mais barato. A inteira custa R$ 12, e a meia R$ 6.
Assessora de imprensa do projeto, Paula Ferraz conta que a Petrobras manifestou interesse em 2016, após alguns meses de diálogo. “Foi algo que estávamos discutindo há algum tempo. Era um projeto que ambas as partes queriam, uma vez que fortalece todo o circuito audiovisual como um todo”.
Talita Arruda, curadora da Sessão Vitrine Petrobras, conta que esses filmes representam um momento muito forte e rico para o Brasil, o que os motivou na criação do projeto. “Veja bem, nós estamos na luta contra esse sufoco na política. Lutamos pelos direitos de todos.
Isso, obviamente, motiva cineastas incomodados, prontos para tocar em alguns temas. Desse modo, a safra aumenta”, explica.
A partir disso, a curadoria ficou atenta ao que é dito pelos negros, mulheres, LGBTQ e outros grupos que precisam ser representados nos cinemas. “Muitas dessas pessoas não possuem voz. Elas fazem os seus filmes e ninguém os assiste, justamente por falta de distribuição. Isso é errado. Por isso valorizamos essa pluralidade. Por isso os nossos filmes conversam entre si”, diz. Segundo Talita, essa ação abriu as portas para alguns nomes, como Gabriel Mascaro, Marina Person, Pedro Rocha e outros que, sem o apoio, talvez não lançassem seus filmes para todo o País.
Ela acrescenta que o retorno tem sido bom e que o público aprecia os filmes lançados. “São 6.500 espectadores por longa, algo que mostra a existência de audiência para todos os produtos lançados”, explica.
Desde janeiro, o projeto lança um filme por mês e, para 2018, a distribuidora adicionou mais quatro cidades no circuito. Cuiabá, Manaus, São Bernardo do Campo e Vitória entraram. Em Fortaleza, você confere os filmes no Cinema do Dragão. Vale destacar que algumas sessões contam com a presença do elenco e diretor. Fiquem atentos.

TODOS OS PAULOS DO MUNDO
Diretor: Gustavo Ribeiro e Rodrigo de Oliveira
Estreia: 10 de maio
O documentário fala sobre Paulo José, que completou 81 anos em março último. Ele é um dos maiores artistas do Brasil, conhecido por dirigir O Tempo e o Vento (1985) e atuar em O Palhaço (2011) e em Quincas Berro d’Água (2010).
BARONESA
Diretora: Juliana Antunes
Estreia: Junho
O documentário fala sobre uma guerra entre traficantes na Vila Mariquinhas, na Zona Norte de Belo Horizonte, que faz com que uma mulher chamada Andreia saia da comunidade que ajudou a construir e onde ainda mora.
UNICÓRNIO
Diretor: Eduardo Nunes
Estreia: Agosto
O filme conta a história de Maria e sua mãe, que esperam o retorno do pai. No entanto, a relação entre elas muda com a chegada de outro homem na casa.
CAMOCIM
Diretor: Quentin Delaroche
Estreia: Setembro
Durante a campanha municipal, a cidade Camocim de São Félix, Pernambuco, gira em torno da política. No meio deste mercado eleitoral, Mayara tenta fazer uma campanha para eleger seu amigo César.
GABRIEL AMORA
O POVO

Comentários

Mais Visitadas

Papa Francisco sobre os direitos humanos: todos têm o direito de ser felizes

Dom Aloísio em nossos corações

O STF é uma vergonha

Diferenças entre instrução e educação