Pular para o conteúdo principal

Aliança de 24 veículos de comunicação vai atuar contra 'fake news' no Brasil

Os editores vão trabalhar juntos para desmistificar falsas informações.
Através do Comprova, jornalistas poderão combater fake news
Através do Comprova, jornalistas poderão combater fake news (AFP/Arquivos)

Vinte e quatro meios de comunicação brasileiros, incluindo a AFP, uniram forças para lutar contra as notícias falsas ("fake news") que invadem a internet e as redes sociais com a aproximação da eleição presidencial de outubro.
"Comprova", o projeto colaborativo de verificação de rumores e informações, conta com participação, além da Agence France-Presse no Brasil, dos principais jornais, emissoras de televisão, rádios e sites do país, tais como Bandnews, Canal Futura, Correio do Povo, Folha de São Paulo, Gazeta do Povo, Jornal do Comércio, Metro Brasil, Nexo Jornal, O Estado de São Paulo, Poder360, Revista Piauí, Rádio Bandeirantes, SBT, UOL e Veja.
Os veículos anunciaram nesta quinta, em São Paulo, o lançamento do "Comprova" em 6 de agosto, sob a coordenação da Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo), com o apoio do Projor (Instituto para o Desenvolvimento Jornalismo ) e o suporte técnico e financeiro do Google e do Facebook.
Os jornalistas e redações envolvidos foram treinados nas ferramentas de verificação para "identificar e combater a desinformação na internet e técnicas sofisticadas (...) de manipulação" da opinião, explicaram essas mídias em um comunicado.
O "Comprova" vai se concentrar em informações que já foram amplamente compartilhadas ou são potencialmente virais, especialmente através da tecnologia móvel.
Os editores vão trabalhar juntos para desmistificar falsas informações e, depois, criarão textos, cards, infografias e vídeos curtos para distribuir os desmentidos em formatos acessíveis e compartilháveis.
Além disso, o "Comprova" receberá de usuários, através de uma conta especial do WhatsApp - com ao menos 120 milhões de usuários no Brasil e é um importante veículo de compartilhamento de "fake news" - informações consideradas suspeitas.
"O volume de conteúdo problemático circulando no Brasil é tão importante que uma única redação não daria conta", declarou Clare Wardle, diretora da First Draft, que está por trás do projeto.
"Ao treinar as redações e unir forças, acreditamos que essa iniciativa pode ter um impacto duradouro no Brasil".

AFP

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE 2016.06.08

Campus Party 2018 vendeu 30% a mais de ingressos que edição anterior

A feira de tecnologia Campus Party Brasília 2018 foi encerrada hoje (1°), após ter reunido milhares de pessoas em torno de palestras, oficinas e atividades com temas como o uso da tecnologia da computação, robótica, empreendedorismo e startups. Essa é a segunda edição do evento em Brasília, que começou no dia 27 de junho, no Estádio Nacional Mané Garrincha. Antes prevista para acontecer de 30 de maio a 3 de junho, a feira foi adiada para esta semana por causa da greve dos caminhoneiros. De acordo com o diretor da Campus Party Brasil, Tônico Novaes, o evento contabilizou um volume de vendas de ingressos pelo menos 30% maior que a primeira edição da Campus Party em Brasília, realizada no ano passado.  Para Tônico Novaes, a edição no Distrito Federal se destacou pela elevada participação e envolvimento dos que estão no evento.  “Os campuseiros daqui são realmente engajados no conteúdo. Andando por aqui você vai ver todos os workshops e bancadas cheias e a estrutura está bem maior que a …