Carta ao leitor IV

Gonzaga Mota*
Existem três eixos fundamentais (político, social e econômico) que servem de apoio ao progresso de um Estado democrático. De nada adianta um País ser for­te do ponto de vista econômico e sua população viver em condições precárias e sem liberdade política. Dentro desta linha de raciocínio, seria fundamental alcançar a cooperação entre governo, sociedade e setores empresariais e trabalhistas, para que ocorra um desenvolvimento responsável, integrado e sustentável. Particularmente, no caso brasileiro, é urgente a necessidade de programas e ações estruturantes que promovam e consolidem os direitos e obrigações da população. Por sua vez, sem crescimento econômico, não há de que se falar em geração de renda ou de empregos, e nem de melhorias que repercutam significativamente na vida do cidadão, seja quanto à educação, à saúde ou a quaisquer outros temas que o afeta diretamente. A busca da estabilidade macroeconômica e da eliminação da corrupção são vitais para a retomada do desenvolvimento. Ao Brasil será impossível destacar-se em meio às economias avançadas, se mantidas a miséria e a exclusão social de que somos testemunhas. O desenvolvimento precisa ser integral, abrangendo todas as áreas, ou seja, visando ao bem-estar da coletividade e ao equilíbrio ambiental. Nada do que foi dito pode ter resultados concretos, sem o envolvimento de toda a sociedade brasileira. Deseja-se que o engajamento se dê de forma crítica e atuante, garantindo a transformação de nossa realidade. Assim, estaremos participando de transformações esperadas, respeitando-se o regime democrático e a liberdade que lhe é intrínseca.
*Professor aposentado da UFC

Comentários

Mais Visitadas

MEU PROFESSOR: MEU SUPER-HERÓI

Morre, aos 92 anos, a escritora Zibia Gasparetto

Dentro da rotina das redes sociais, mulheres dividem as dificuldades e os pontos positivos de expor a maternidade

A Palavra Não