Encontros boêmios de Catulo da Paixão Cearense

arte
O jornalista Gonçalo Junior, editor e organizado do livro "Música & Boemia - A autobiografia perdida de Catulo da Paixão Cearense", vai direto ao ponto. Ele abre o livro com os versos da toada "Luar do Sertão": "Não há, ó gente, ó não/ Luar como esse do sertão". Logo o leitor reconhece a canção, gravada por uma infinidade de nomes, de Luiz Gonzaga à dupla Chitãozinho & Xororó. A composição é a mais famosa do poeta, editor e compositor maranhense, cujas memórias são recuperadas no livro da editora Noir.
A obra será lançada em Fortaleza nesta sexta-feira, 15, às 18h, na Biblioteca Pública Municipal Dolor Barreira, equipamento da Secretaria Municipal da Cultura de Fortaleza (Secultfor). Na ocasião, o cineasta e pesquisador Gabriel Petter e o diretor da Biblioteca Dolor Barreira, Eduardo Pereira, debaterão sobre a obra.
Filho de um cearense e uma maranhense, Catulo da Paixão Cearense (1863 - 1946) mudou-se cedo para o Rio de Janeiro. Nas memórias, pouco fala da infância e dos tempos difíceis. Ele próprio figura mais como espectador do que como protagonista da história que conta. O livro é um registro da boemia na então capital da República, entre os anos 1880 e 1920.
Os editores deram à "Música & Boemia" o subtítulo de "autobiografia perdida" por conta do encontro do organizador, Gonçalo Junior, com a obra. Em uma pesquisa em jornais e revistas antigos, ele encontrou as memórias de Catulo, em 31 textos editados à moda dos folhetins, na revista literária carioca "Vamos ler!", entre fevereiro e outubro de 1943.
Mais informações:
Lançamento do livro "Música e Boemia", de Catulo da Paixão Cearense. Sexta-feira (15), às 18h, na Biblioteca Pública Municipal Dolor Barreira (Av. Da Universidade, nº 2572 - Benfica). Contato: (85) 3105.1299
Diário do Nordeste

Comentários

Mais Visitadas

O Irmão Carlos de Foucauld

15 de novembro de 1889

Memorial do Holocausto lembra 80 anos da Noite dos Cristais em SP

O mundo reconciliado em Cristo

Escreve Pe. Jocy - Dom Delgado