Espetáculo une dança, música e literatura na Unicamp

ACidade ON - Campinas | ACidadeON/Campinas
 

Espetáculo multimodal "De uma margem a outra" será apresentado nesta quinta. (Foto: Kassius Trindade) 
Em turnê pelo estado de São Paulo, o espetáculo multimodal "De uma margem a outra", com direção coreográfica de Daniela Gatti e musical de Jônatas Manzolli, explora um novo modo de criação em rede. Dança, música, literatura e tecnologia se entrelaçam num jogo poético de gestos, sons e textos. 
Em Campinas, a turnê tem início nesta quinta-feira (28), às 12h30, no IA (Instituto de Artes) da Unicamp. Na sexta (29), a apresentação será às 19h. Em seguida, o espetáculo ainda passa por São Paulo (5 e 6 de julho), Piracicaba (7 de julho) e Jaguariúna (8 de julho).

Baseado na estrutura literária do escritor Ítalo Calvino (1923-1985), sobretudo na contida no emblemático livro "Seis Propostas para o Próximo Milênio", o espetáculo, protagonizado pelo bailarinos e músicos formados pela Unicamp, encena ilhas interpretativas a partir de diversos temas, que criam um arquipélago imaginário.  
AS REPRESENTAÇÕES
As pontes representam passagens daquilo que é fixo, compacto e denso para o mutável e leve, até alcançar o sentido de transparência, que dissolve o que é denso e dá ao espectador a ideia de permeabilidade. O pêndulo liga o tempo ao espaco , movimento e som, criando pontes entre o fixo e o mutável e passa pela construção do fixo e do imutável para o contato físico e, em seguida, para a transparência, que dissolve o que é denso e dá ao espectador a ideia de permeabilidade

Neste contexto, o pêndulo, mais do que um elemento cenográfico, é então levado ao palco como uma síntese do denso e do leve, criando uma conexão por meio de movimentos que sugerem a construção de pontes entre o fixo e o mutável.

Composições coreográficas e musicais navegam juntas entre cenas dramáticas, resultantes da performance envolvendo músicos - duas percussões, uma flauta transversal e uma mezzo soprano -, e bailarinos integrados a fragmentos de poemas do moçambicano Mia Couto, que estruturam o perfil melódico da obra.

A tecnologia está presente em todo o espetáculo por meio de sensores de movimento e difusão eletroacústica, que viabilizam sonoridades granulares a cada sutil deslocamento dos artistas em cena.

A proposta de criação do espetáculo tem origem em parcerias anteriores entre os professores e diretores Daniela Gatti e Jônatas Manzolli, ambos do Instituto de Artes da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) - Matizes (2013) e a Ópera multimodal Descobertas (2016), criada para celebrar os 50 anos da universidade.

O projeto também conta com a colaboração de núcleos de pesquisa de criação artística - Núcleo Dança REDES, GRUPU Grupo de Percussão Unicamp e NICS. Assim como a obra de Calvino, a montagem está estruturada em seis movimentos: Peso, Leveza, Transparência, Pêndulo , Pele e Multiplicidade. 

Comentários

Mais Visitadas

O Irmão Carlos de Foucauld

Memorial do Holocausto lembra 80 anos da Noite dos Cristais em SP

15 de novembro de 1889

Escreve Pe. Jocy - Dom Delgado

Há 50 anos, primeira mulher negra era eleita ao Congresso nos EUA