Pular para o conteúdo principal

Futebol sai da arquibancada e ganha leitores nas livrarias

'Estado' faz seleção de obras indispensáveis para quem ama o esporte bretão

O Estado de S.Paulo
PVC
 
Autor: PVC. Foto: Editora Objetiva
Paulo Vinícius Coelho conta pela primeira vez a história do futebol brasileiro sob o ponto de vista do jogo. O jornalista detalha as mudanças táticas e a evolução do esporte. Nessa trajetória, relembra as grandes seleções do Brasil, os bastidores das grandes conquistas, como as da Copa de 1970 e 2002, e ajuda a desvendar os mistérios das derrotas inesquecíveis, como no Mundial de 1982 e o 7 a 1 contra a Alemanha.
Red Card
Autor: Ken Bensinger. Foto: Editora Globo Livros
O jornalista canadense Ken Bensinger revela os detalhes do maior caso de corrupção da história do futebol. O livro será lançado mundialmente em 12 de junho, dois dias antes da abertura da Copa da Rússia. Nele estão reunidos documentos e relatos que tentam explicar como funcionava o esquema de subornos envolvendo a Fifa e dirigentes esportivos do mundo inteiro. Inicialmente, sairá em inglês.
A vida pela bola
Autor: Luiz G. Piva. Foto: Editora Iluminuras
É o segundo livro de ficção com o futebol como tema do economista Luiz Guilherme Piva. A obra reúne crônicas sobre a bola que rola em paralelo às modernas arenas. “A palavra, a frase, o ritmo desse cara é a pelota que quica sem destino definido. Ele conseguiu traduzir a bola na escrita, sua trajetória e seus barulhos, com todo o suspense e a dramaturgia a cada gol de letra”, escreveu Xico Sá na contracapa.
A história do futebol
Autor: Emanuel Leite Jr.  Foto: Multifoco
A origem do futebol na Rússia é muito semelhante ao seu início no Brasil, de origem popular, praticado por comerciantes e marinheiros. Além de mostrar como a bola começou a rolar na atual sede da Copa do Mundo, o jornalista Emanuel Leite Júnior faz uma análise de como a Revolução Russa utilizou a modalidade para afirmação de uma identidade e para promover as instituições nacionais.
ctv-4ib-sombra
Autor: Eduardo Galeano. Foto: Editora L&P
É uma ode ao futebol dividida em contos. Galeano capta como poucos a magia que envolve o mundo da bola. Ele puxa de sua memória a sensação de assistir aos grandes ídolos: “Ver Pelé jogar valia uma trégua e muito mais” ou “Heleno de Freitas tinha pinta de cigano, cara de Rodolfo Valentino e humor de cão raivoso. Nas canchas, resplandecia”. Tudo isso vindo de quem nunca teve intimidade com a bola.
ctv-rum-dia
Autor: C. D. de Andrade. Foto: Editora C. das Letras
São crônicas e poemas que mostram o ponto de vista de Drummond sobre o futebol. Há desde as rivalidades entre grandes times a lances geniais de Pelé, Garrincha e outros craques. Os textos abrigam nove Copas: de 1954, na Suíça, até a última testemunhada pelo autor, em 1986, no México. Como é de se imaginar, vão além de análises técnicas e táticas e tentam captar o que está nas entrelinhas do esporte.

Estadão

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE 2016.06.08