Pular para o conteúdo principal

UMA QUESTÃO DE COMPROMISSO SOCIAL

Carlos Delano Rebouças*
Tem gente que vive sempre na luta pelos seus objetivos, aqueles somente seus, exclusivos, e por eles não poupa esforços. Há outro tipo de pessoa que defende também essa tese, mas com uma diferença, a de que pode também unificar os interesses, enxergando que seja a concretização de duas conquistas, uma pessoal e outra social.

Se for indagado sobre qual das duas mais me agrada, não hesitarei em afirmar que a segunda postura mais condiz com o meu ponto de vista, ou seja, que podemos sim lutar por objetivos distintos e semelhantes, sincronicamente, com as mesmas ferramentas e com os mesmos esforços, ou quem sabe, a busca pelo objetivo pessoal seja também a conquista por uma luta social, que acaba determinando a sua concretização, de seu objetivo.

Como um profissional de educação – que luta pelo fortalecimento da minha imagem profissional no mercado, buscando a minha consolidação profissional dentro da sociedade – vejo e entendo que inevitavelmente isso acontece ou pode acontecer sem que redunde em resultados positivos para a sociedade e seus componentes. Confirmam-se, então, duas conquistas, de dois objetivos, que acabam se confundindo, causando uma satisfação total.

A satisfação total passa a ser vista como o resultado de um envolvimento profundo em projetos sociais, que, infelizmente, nem todo mundo tem a sensibilidade de desenvolver ou participar, independentemente de ser um profissional de educação. Basta, como afirmara, sensibilidade em entender, compreender que somos seres sociais, pensantes, que vivemos em sociedade, e que podemos, aliás, devemos dar a nossa parcela de contribuição para a sua evolução.

Essa evolução engloba aspectos sociais, que envolvem uma maior conscientização sobre ética, moral e cidadania, esclarecendo sobre direitos e deveres, através da educação, como também, aspectos psicológicos, além, de espirituais, porém, com toda a liberdade de escolha, seguindo tendências libertárias e construtivas.

Mas para que tudo isso aconteça e funcione como o desejado, esperado, precisamos deixar de lado as vaidades, o egoísmo e os preconceitos. O mundo foi feito para ser bem aproveitado e suas riquezas estão aí para isso. Tudo e de todo mundo e nada é de ninguém.

Pensando assim, porque não nos conscientizemos que podemos lutar por um mundo melhor, mais igualitário, participando nesse processo, dando a nossa parcela de contribuição com as habilidades e ferramentas que sabemos utilizar? Podemos sim, desde que passemos a compreender que ninguém é melhor que ninguém e que sempre tem alguém que precisa de sua ajuda, de sua colaboração, que estenda a sua mão em seu apoio.

Prefiro pensar e agir desta forma: lutando pelos mesmos objetivos e sabendo que eles são os mesmos de uma sociedade em que contribuiu para que se torne melhor; entendendo e aceitando a verdade que nem sempre a recompensa pelos nossos esforços é financeira.

*Professor de Língua Portuguesa e redação, conteudista, palestrante e facilitador de cursos e treinamentos, especialista em educação inclusiva e revisor de textos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…