Pular para o conteúdo principal

"Capitalismo Contemporâneo e Educação Brasileira" reúne 19 artigos analisando a educação e o mercado

Educação é elemento fundamental para compreender como os sistemas político e de mercado foram formados. E o que esses elementos pretendem transformar ou deixar. Para a professora Rozimar Machado, da pós-graduação da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Ceará (UFC), pensar a política educacional é uma forma de refletir e tensionar como os governos devem organizar a administração do País. Ela e outros 19 pesquisadores da Universidade mostram, no livro Capitalismo Contemporâneo e Educação Brasileira, como as instituições normatizam a estrutura educacional com a doutrina política.
“Uma das formas são as organizações internacionais que pensam a política educacional do Brasil por meio das fundações privadas de empresas”, aponta. Essas instituições  vêm desenhando a política nacional e a proposta da Base Nacional Comum Curricular, segundo aponta a professora. Organizações internacionais privadas pensarem políticas educacionais para o Brasil e não pessoas do próprio País é um exemplo disso.
Rosimar Machado acredita que depende muito de quem a se queira beneficiar. Se olharmos para a classe trabalhadora, segundo ela, se entende a influência é uma questão negativa, porque a problemática do dia a dia, a verdadeira razão da existência é levar qualidade de vida para as pessoas. “A tendência é tratar a educação como mercadoria e os educandos, como clientes”, informa a professora.
Uma das formas de se barrar essa visão [e, segundo a professora, interromper a corrida pelo resultado. “A educação pública não pode ser pensada como ranking e sem compreender a necessidade do aluno”, reforça. A escola cumpre a função quando o projeto científico está aliada com a vida prática e não precisa, segundo informa, estar ligada aos mercados.
A formação que a escola não deve se encaminhar, dentro do papel histórico, é de que a sociedade tem que reproduzir o que já está proposto. “Vamos formar indivíduos que, ao invés de se colocarem numa perspectiva de criação, vai se adaptar ao sistema”, confirma. O pedagogo Paulo Freire faz essa diferenciação entre se inserir e se adaptar: o amparo do capitalismo visa apenas a adaptação. “É preciso se inserir para transformar”, atribui.  
Serviço
Lançamento e debate do livro Capitalismo Contemporâneo e Educação Brasileira: aspectos controversos e atuais.
Quando: 19 de julho
Horário: 19 horas
Onde: Espaço O POVO de Cultura & Arte (anexo à sede do O POVO - avenida Aguanambi,282 A - Joaquim Távora)



O Povo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil* O corpo do jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na próxima terça-feira (9), no Memorial do Carmo, segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), respeitando o desejo do imortal. Cony morreu ontem (6), aos 91 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos após dez dias de internação. Segundo a ABL, como a morte ocorreu em um fim de semana, procedimentos jurídicos e administrativos terão que ser resolvidos nesta segunda-feira (8). Após a cremação, suas cinzas devem ser lançadas em um local que remete a sua infância. Também a pedido do jornalista, seu corpo não foi velado na sede da academia. A amiga e também jornalista Rosa Canha disse que Cony desejava uma cerimônia íntima. "Ele não queria velório, não queria missas nem nenhum tipo de homenagens. Ele pediu muito que fosse uma cerimônia apenas para a família".  Saiba MaisTemer lamenta morte do jornalista Carlos Heitor Cony Carlos Heitor Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926.…

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…