Pular para o conteúdo principal

‘Êxodos’, de Sebastião Salgado, ganha exposição em Sobral

A coleção de 60 imagens permanecerá na Casa da Cultura, de 24 de julho a 24 de setembro, com visitação gratuita
O olhar humanista de Sebastião Salgado, um dos maiores fotodocumentaristas do mundo, será exposto pela primeira vez em Sobral. A mostra Êxodos retrata a história de fuga de pessoas que, pressionadas por circunstâncias históricas, deixaram para trás a cidade natal. Em geral, são migrantes, refugiados ou exilados que tentam escapar da pobreza, da repressão ou da guerra.

Para realização de Êxodos, o fotógrafo percorreu 40 países durante seis anos e registrou a parte da humanidade que fez do êxodo uma opção de vida. A exposição, que conta com a curadoria de Lélia Deluiz Wanick Salgado, fica aberta para visitação gratuita de 24 de julho a 24 de setembro de 2018, de terça-feira a sexta, das 9h às 12h e das 13h às 21h e sábado das 17h às 21h, na Casa da Cultura de Sobral.
Êxodos é uma história reveladora, que retrata pessoas que abandonam a terra natal contra a própria vontade. “Mais do que nunca, sinto que a raça humana é somente uma. Há diferenças de cores, línguas, culturas e oportunidades, mas os sentimentos e reações das pessoas são semelhantes”, define Salgado.
A coleção com 60 pôsteres que compõe essa exposição foi doada por Lélia Wanick e Sebastião Salgado ao Instituto Terra, ONG ambiental que o casal fundou em 1998, em Aimorés (MG). Êxodos já esteve em cartaz em cidades como Salvador, Recife, Curitiba, Brasília, Fortaleza e chega agora em Sobral por meio da Prefeitura de Sobral, através da Secretaria da Cultura, Juventude, Esporte e Lazer – Secjel e Instituto Ecoa.
A mostra é dividida em cinco principais temas: África; Luta pela Terra; Refugiados e Migrados; Megacidades; e Retratos de Crianças. São imagens impactantes que retratam a fuga de migrantes, refugiados e pessoas deslocadas em diferentes pontos do mundo; a tragédia sem paralelo da África; o êxodo rural, o conflito de terras e a urbanização caótica na América Latina; imagens das novas megalópoles asiáticas e, em cada uma dessas situações extremas, o registro daquelas que, mesmo envoltas no caos, mantêm viva a chama da esperança e da dignidade humana: as crianças.

Talento reconhecido

Sebastião Salgado nasceu em 1944, em Aimorés, Minas Gerais. Economista de formação, começou sua carreira de fotógrafo em Paris, em 1973. Trabalhou sucessivamente com as agências Sygma, Gamma e Magnum Photos até 1994, quando, ao lado de Lélia Wanick Salgado, sua diretora artística, fundou a agência de fotografia Amazonas Images, que se tornou a base de todas as atividades inerentes ao seu trabalho.
Salgado esteve em mais de 100 países para projetos fotográficos que, além de inúmeras publicações na imprensa, foram apresentados em forma de livros e exposições apresentadas em museus no mundo inteiro, tais como: Outras Américas (1986), Sahel, l’Homme en détresse (1986), Trabalhadores (1993), Terra (1997), Êxodos e Retratos de Crianças do Êxodo (2000), África (2007), e Gênesis (2013). O livro mais recente, Perfume de Sonho, é fruto de uma viagem ao mundo do café (2015).
Sebastião Salgado recebeu inúmeras honrarias por seu talento e sensibilidade ao registrar o mundo e a humanidade. É embaixador de Boa Vontade da UNICEF; membro honorário da Academy of Arts and Science dos Estados Unidos; recebeu a comenda da Ordem do Rio Branco, no Brasil; e é Commandeur de l’Ordre des Arts et des Lettres, pelo Ministério da Cultura e da Comunicação da França.
Em 13 de abril 2016, foi eleito membro da Académie des Beaux-Arts de l’Institut de France, assumindo a cadeira ocupada anteriormente pelo fotógrafo Lucien Clergue.

Instituto Terra

ONG ambiental fundada por Lélia Deluiz Wanick Salgado e Sebastião Salgado em 1998, no município de Aimorés-MG, o Instituto Terra atua na recuperação da Mata Atlântica, na proteção de nascentes, na educação ambiental e pesquisa científica aplicada, bem como na promoção do desenvolvimento sustentável do Vale do Rio Doce.
A experiência bem-sucedida de recuperação ambiental promovida em sua sede, na RPPN Fazenda Bulcão, está sendo replicada em municípios do Espírito Santo e de Minas Gerais, e já soma mais de 7,5 mil hectares de áreas degradadas de Mata Atlântica em processo de recuperação na região, além da proteção de milhares de nascentes na Bacia Hidrográfica do Rio Doce.
Em reconhecimento ao trabalho desenvolvido no Instituto Terra, em 2012, Sebastião e Lélia receberam o Prêmio e. Instituto e, UNESCO Brasil e Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, e também o Prêmio « Personalidade Ambiental », WWF-Brasil. Mais informações em www.institutoterra.org.

Serviço:

Exposição “Êxodos” de Sebastião Salgado
Abertura dia 24 de julho, às 19h, na Casa da Cultura de Sobral (Av. Dom José, 929, Centro).
A exposição permanece no local até o dia 24 de setembro. Horário de visitação: De terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h ás 21h a aos sábados, das 12h às 19h.
Entrada gratuita.
Informações: (88) 3611-3324.

Com informações da Assessoria de Comunicação
Boa Notícia

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil* O corpo do jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na próxima terça-feira (9), no Memorial do Carmo, segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), respeitando o desejo do imortal. Cony morreu ontem (6), aos 91 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos após dez dias de internação. Segundo a ABL, como a morte ocorreu em um fim de semana, procedimentos jurídicos e administrativos terão que ser resolvidos nesta segunda-feira (8). Após a cremação, suas cinzas devem ser lançadas em um local que remete a sua infância. Também a pedido do jornalista, seu corpo não foi velado na sede da academia. A amiga e também jornalista Rosa Canha disse que Cony desejava uma cerimônia íntima. "Ele não queria velório, não queria missas nem nenhum tipo de homenagens. Ele pediu muito que fosse uma cerimônia apenas para a família".  Saiba MaisTemer lamenta morte do jornalista Carlos Heitor Cony Carlos Heitor Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926.…

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…