Pular para o conteúdo principal

Museu da Fotografia realiza workshop em Fortaleza

por Diego Barbosa - Repórter
Image-0-Artigo-2426026-1
Image-1-Artigo-2426026-1
Registros feitos por Paulo Czar com câmera DSLR (profissional): destaque para expressões e identidades, pontos trabalhados durante oficina no MFF
Perceber a paisagem, mirar a lente, pressionar o botão, captar o momento, compartilhar nas redes. No imediatismo representativo da contemporaneidade - em que a busca desenfreada por likes ganha especial atenção -, resta pouco espaço para registros fotográficos feitos com qualidade e esmero -fatores preponderantes em um trabalho diferenciado.
Afinal, é possível fazer um simples e belo retrato com recursos mínimos disponíveis? Para o fotógrafo Paulo Czar, sim. Graduando em Sistemas e Mídias Digitais pela Universidade Federal do Ceará (UFC), com foco em ilustração, ele acredita no potencial criativo que podemos desenvolver na seara da fotografia em um cenário cada vez mais ansioso por imagens, embora avalie o contexto com algumas ressalvas.
"Apesar da amplitude do uso dos smartphones e do fato de aplicativos para 'melhorar' fotos serem de fácil acesso e aceitação, ainda é muito comum o mau uso das ferramentas. São feitos muitos retratos com cortes irregulares, distorções de lente e planos que não favorecem o fotografado, por exemplo", observa.
Nesse sentido, aliado a Carolina Parente, também estudante do curso e diretora de comunicação do Instituto Verdeluz - ONG de educação e participação socioambiental em comunidades de Fortaleza -, Paulo ministrará o workshop "Retrato e Mídias Sociais - Fotografia além da selfie" no Museu da Fotografia Fortaleza, neste sábado (14), a partir das 9h.
O encontro pretende desenvolver o olhar estético-fotográfico dos participantes, explorando técnicas de composição e edição, valorizando, assim, o conteúdo do que será publicado no meio digital.
Trabalhando princípios básicos e práticos da fotografia de retrato, a oficina é uma boa opção para amadores e profissionais que desejam aperfeiçoar as habilidades, tanto na esfera pessoal quanto profissional.
O investimento é de R$ 150, a ser pago em dinheiro e presencialmente. As pré-inscrições podem ser realizadas pelo e-mail inscricao@museudafotografia.Com.Br, e os participantes deverão levar câmera fotográfica (preferencialmente) ou celular.
Identidade
A oficina será realizada pela primeira vez envolvendo essa dupla de pesquisadores - na ocasião, Czar vai tratar, mais efetivamente, das técnicas de retrato, enquanto Carolina deve conferir destaque à utilização de fotografias para mídias sociais.
Além de pontos específicos de análise, Paulo conta que, durante a vivência, outras abordagens conferirão um novo olhar sobre a prática fotográfica, ampliando conhecimentos e suscitando reflexões.
"Queremos levantar algumas questões, como o lugar da fotografia artística no meio digital, a expressão de identidade e personalidade e como explorar o seu olhar", enumera. Debates que o roteiro de atividades desenvolvido para o dia pretende cumprir bem a partir de diferentes tópicos.
Etapas
Entre os aspectos a serem explorados constam uma breve discussão sobre história, particularidades do retrato e a fotografia no meio digital; técnicas fotográficas com foco em retrato (composição, ângulos do rosto e cores, por exemplo); debate baseado em exemplos, com a presença de convidados; e atividade prática, quando os participantes serão fotografados e também farão fotografias. Finalizando o encontro, haverá a impressão da melhor foto de cada um.
Indagado se redes sociais como o Instagram - onde o conteúdo principal são imagens - estão contribuindo ou prejudicando no aperfeiçoamento de um olhar artístico por parte do público geral, Paulo opina: "Acredito que sim, embora haja uma forte tendência da exploração da imagem como sensação de momento e pouco fundamento".
"Ainda assim, as mídias trazem suporte para uma exploração mais artística, digamos assim. Muitos profissionais, desde fotógrafos até ilustradores e afins, fazem bom uso desses espaços e dos formatos que eles oferecem", completa.
Conhecimento
Pegando carona nessa vertente experimental, o fotógrafo afirma estar com boa expectativa para o dia e torce para que o público volte para casa com uma bagagem de conhecimentos mais pesada.
"O meio artístico sempre oferece surpresas. Quem trabalha com o meio das artes visuais sabe que, por mais que o método seja o mesmo, a interpretação de cada um é sempre singular", finaliza.
Mais informações:
Workshop Retrato e Mídias Sociais. Amanhã (14), de 9h às 12h e de 13h às 17h, no Museu da Fotografia Fortaleza (R. Frederico Borges,
454, Varjota).
Inscrições: R$ 150 (pago somente em dinheiro e presencialmente).
Pré-inscrições pelo e-mail http://inscricao@museudafotografia.com.br
Contato: (85) 3017.3661
Diário do Nordeste

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE 2016.06.08

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/