Pular para o conteúdo principal

Nós realmente podemos melhorar nosso caráter?

Nós podemos gostar dos nossos defeitos, mas admiti-los leva a coisas muito maiores, pessoal e profissionalmente

COUPLE
Admitir e mostrar nossas feridas e defeitos nos torna grandes como pessoas e nos aproxima dos outros.
É uma verdade universalmente reconhecida que não somos perfeitos. Mas, às vezes, podemos deixar passar este fato sem “personalizá-lo” – isto é, sem torná-lo nosso.
Somos muito corajosos quando se trata de criticar os aspectos negativos dos outros, e podemos até julgá-los duramente, mas… quando se trata de dar a volta e dar uma boa olhada em nós mesmos, nós nos justificamos, desculpamo-nos, procuramos em outro lugar.
Existem até mesmo aqueles que transformam os defeitos de seu caráter em direitos a se gabar: eles chamam a arrogância de “capacidade de liderança”, chamam a raiva de “ter um caráter forte” e assim por diante.
Então, por que se incomodar em melhorar seu caráter se permanecer do mesmo jeito traz benefícios sociais? “Eu sou o mais admirado do bairro; eles me temem”. Ou no trabalho, “eu sou um tubarão”. “Eles sabem que eu sou capaz de qualquer coisa e isso me torna ‘intocável’”. “Entre amigos, ninguém vai falar porque todos sabem que você não pode ir contra minha opinião”.
Justificando o mau caráter
 
Justificar o mau caráter é uma grande falha e só pode ser consertado se a pessoa acordar e perceber tudo o que está perdendo. Ela verá que há pessoas que se distanciam dela por medo, porque não querem discutir com uma parede. E ela verá o dano que está causando a si mesmo.
Ter um mau caráter também significa aceitar um jeito ruim de ser humano. É uma pobreza de espírito, uma doença interior que exige um olhar de misericórdia.
Você se lembra dos protagonistas de Crime e Castigo? Apenas o olhar amoroso de uma Sônia poderia resgatar o assassino Raskolnikov de sua própria amargura. Mas esta foi uma Sônia que foi capaz de acompanhá-lo à Sibéria para cumprir oito anos de trabalho forçado (não estamos falando de um olhar romântico, mas inativo).
Tornando-se “amável”, digno de ser amado
Quando alguém não está disposto a reconhecer seu mau caráter, é muito possível que alguém possa estar prestes a perder o amor: o amor de um cônjuge, dos filhos, dos amigos… Por outro lado, alguém que sabe que é imperfeito e pede ajuda pode, naquele momento, tornar-se amável, “digno de ser amado”.
Como é fácil amar, ajudar e admirar uma pessoa “amável”, certo?
Mas, quando alguém barricou a si mesmo em seus defeitos e diz “Este é meu caráter” para justificar algo ruim em sua personalidade, ele deveria dizer: “Esta é apenas a minha falta de caráter”. Porque o caráter autêntico é perfeição, ter todos os valores ao máximo – e isso é impossível em uma pessoa viva, porque estamos sempre incompletos. Podemos e devemos melhorar, e esse é um dos grandes desafios da humanidade.
Já estamos conscientes de que nosso caráter tem falhas? Queremos melhorar? Anote estas dicas que podem ajudá-lo.
  • Pense em uma pessoa que você machucou com seu defeito de caráter e peça perdão de coração. “Eu sei que te humilhei falando assim e não vai acontecer de novo. Eu farei o que for preciso”, por exemplo. Ou “Eu estive distante de você por um tempo. Eu dou a você a minha palavra de que irei visitá-lo com mais frequência”.
  • Descubra qual pessoa conhece bem você (ou quem você estaria disposto a deixar entrar) e pode ajudá-lo: um amigo, um parente, um padre, um psicólogo… Fale com essa pessoa e explique que você precisa da sua ajuda para abrir os seus olhos e ajudá-lo a encontrar maneiras de superar sua falta de caráter.
  • Tome uma posição definitiva contra esse defeito. Trata-se de partir para a estrada da virtude. Defina uma meta todos os dias, não importa quão pequena.
Faça uma revisão diária de como está indo sua luta e anote o que aconteceu em três pontos: Você lutou? Você ganhou? O que você pode fazer agora como próximo passo para melhorar? É importante que você anote isso para que você possa verificar seu progresso ou suas omissões. Se não anotarmos as coisas, nossa memória pode nos enganar, e podemos deixar passar por semanas sem fazer nada.

Aleteia

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE 2016.06.08

Campus Party 2018 vendeu 30% a mais de ingressos que edição anterior

A feira de tecnologia Campus Party Brasília 2018 foi encerrada hoje (1°), após ter reunido milhares de pessoas em torno de palestras, oficinas e atividades com temas como o uso da tecnologia da computação, robótica, empreendedorismo e startups. Essa é a segunda edição do evento em Brasília, que começou no dia 27 de junho, no Estádio Nacional Mané Garrincha. Antes prevista para acontecer de 30 de maio a 3 de junho, a feira foi adiada para esta semana por causa da greve dos caminhoneiros. De acordo com o diretor da Campus Party Brasil, Tônico Novaes, o evento contabilizou um volume de vendas de ingressos pelo menos 30% maior que a primeira edição da Campus Party em Brasília, realizada no ano passado.  Para Tônico Novaes, a edição no Distrito Federal se destacou pela elevada participação e envolvimento dos que estão no evento.  “Os campuseiros daqui são realmente engajados no conteúdo. Andando por aqui você vai ver todos os workshops e bancadas cheias e a estrutura está bem maior que a …