Pular para o conteúdo principal

Programação parceira é destaque em balanço de encerramento da Flip

O aumento da programação parceira foi um dos destaques da Festa Literária Internacional de Paraty (Flip) em 2018 e foi considerado "extremamente positivo" por Mauro Munhoz, diretor-presidente da Associação Casa Azul, que organiza o evento. Mauro destacou que a Flip foi concebida para requalificar o espaço urbano do centro histórico de Paraty e se disseminou de forma mais ativa com as casas parceiras.
Em 2018, a festa literária contou com 22 espaços alternativos que ocuparam o centro histórico com programações diárias. Cada um teve uma organização independente, o que fez com que autores de renome e personalidades circulassem em diversas mesas de discussão na cidade.
Clique na imagem abaixo e confira a cobertura completa da Flip 2018:
banner Flip 2018

"Desde o Ocupa Paraty, com 40 instituições locais fazendo uma programação incrível do outro lado do rio, às casas parceiras, colaborando com a Flip e tendo programações independentes e ativando a cidade de maneira absolutamente incrível", pontuou ele, que destacou também as inaugurações da Biblioteca Estadual Maria Angélica Ribeiro e do Cinema da Praça, onde também houve programações culturais durante a Flip.
Para o ano que vem, o plano é criar um aplicativo que possa informar de forma mais centralizada toda a programação que ocorre durante o evento. Além disso, pode ser instalado um telão de led na Praça da Matriz, para que o público possa acompanhar a lista de atrações em tempo real.

Palco Principal

Até a noite de sábado (28), a Flip teve 90% de ocupação no auditório principal em suas mesas, que reuniram 6.820 pessoas. Na tenda gratuita, onde parte do público acompanhou as atrações na Praça da Matriz, a Flip reuniu 9.361 pessoas até a noite de sábado.
Mesa Barco Com Asas, na Festa Literária Internacional de Paraty (Flip)
Mesa Barco Com Asas, na Flip - Walter Craveiro/Flip/Direitos reservados
O público total da festa ainda está sendo contabilizado em parceria com a Fundação Getulio Vargas. A taxa de ocupação dos hotéis e pousadas variou de 90% a 95%, segundo Mauro Munhoz.
A curadora da Flip, Joselia Aguiar, avaliou positivamente a adoção de novos formatos, como mesas com dois entrevistadores e um autor, uso de vídeos durante as mesas e participação de autores por meio de perguntas gravadas em vídeo.
Joselia também comemorou a recepção de autores desconhecidos no Brasil, como o italiano Fabio Purstela, e o sucesso da mesa da autora russa Liudmila Petruchévskaia, que não costuma dar entrevistas nem falar sobre sua obra em público.
Neste ano, a Flip manteve a diversidade da edição anterior, com uma proporção maior de mulheres e autores negros e negras em relação às edições anteriores a 2017. Segundo a curadora, essa participação vai se manter, e os autores cada vez mais serão convidados a falar sobre os mais diversos temas, e não só sobre questões que envolvem suas identidades. "Vai ser sempre assim", prometeu Joselia. 

*O repórter viajou a convite da EDP, empresa patrocinadora da Flip 2018. 

Agência Brasil

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…