Educação

Gonzaga Mota*
Concordamos com a ideia de que a educação deve ser proporcionada a todos por constituir um direito e uma condição para o pleno desenvolvimento da pessoa humana. Além de constituir um direito, a educação também é um dos principais fatores, senão o mais importante, do desenvolvimento dos países. É fundamental que as nações entendam, em primeiro lugar que a Educação constitui não um gasto, mas um investimento.
Em segundo lugar, este é um investimento de longo prazo que deve expressar o compromisso de gerações e ser elevado a um projeto do Estado Democrático, para além das divergências partidárias. Com o desenvolvimento de novas tecnologias e métodos produtivos, são requeridas novas aptidões. Não basta acompanhar as transformações, há que se ter a capacidade de antecipá-las. Daí a necessidade da educação ao longo de toda a vida. Este é um processo irreversível.
No Brasil, por exemplo, há um grande consenso em prol da educação quando se analisam os discursos das mais diversas lideranças políticas. Ao mesmo tempo, a sociedade requer que os desafios colocados na educação sejam enfrentados com mais disposição, com melhor qualidade e com mais recursos financeiros.
Resta, pois, o passo mais difícil - transformar a retórica em ações concretas e priorizar os investimentos na Educação, nas múltiplas dimensões do acesso, equidade e qualidade.
Este será o caminho do desenvolvimento equilibrado, com distribuição de renda e participação de todos na riqueza das nações - o verdadeiro desenvolvimento humano.
*Professor aposentado da UFC

Comentários

Mais Visitadas

José, servo bom e fiel

Câmara homenageia mulheres que se destacaram na luta por direitos

Nossos escritores

Físico brasileiro recebe Prêmio Templeton de 2019

Inep cria comissão para decidir itens que farão parte do Enem 2019