Pular para o conteúdo principal

Escola adapta festa junina para que criança cadeirante se integre

Emocione-se com a inspiradora história da pequena Clara (e confira as fotos!)

Com 19 semanas de gestação, Júlia Kogan, de São Paulo, descobriu que Clara viria ao mundo com uma malformação da coluna vertebral da criança chamada mielomeningocele. Isso acarretou a Clara sequelas motoras severas. Clara não pode andar e é uma criança cadeirante, ou seja, precisa de cadeiras de rodas para se movimentar.
Quando Clara completou um ano, Júlia foi à procura de escolas que possuíssem um espaço com a acessibilidade necessária para a Clara. Na teoria, toda escola é obrigada por lei a aceitar crianças especiais, mas na prática não é isso que acontece.
Quando conheceu o colégio atual onde Clara estuda, Júlia sabia que seria a melhor escolha. Havia rampas, elevadores, e um bom atendimento. A mãe conversou com todos os profissionais da escola e eles já tinham experiência com outras crianças com algumas dificuldades e/ou deficiências. Ela poderia entrar quando completasse três anos.
Antes de Clara completar 3 anos a mãe percebeu que ela precisava começar a ter contato com crianças diariamente, pois isso ajudaria muito o seu desenvolvimento.
Das escolas pequenas em que ela procurou no seu bairro, nenhuma possuía qualquer tipo de acessibilidade, muito pelo contrário, eram todas cheias de escada por todos os lados.
A primeira escola da Clara não tinha nenhuma acessibilidade, mas mesmo assim, tinha uma ótima professora que deu para a Júlia a confiança necessária. Clara aprendeu a comer melhor, falar mais, cantar, dividir brinquedos, etc.
“A rotina de crianças com mielo é bem intensa nos primeiros anos de vida: fisioterapia, médicos, exames e cirurgias em alguns casos, mas quando as coisas estão encaminhadas e organizadas não existe nada melhor que a escola”, explica.
Desde 2017 Clara está na nova escola. E adora.
Na festa junina de junho deste ano, a escola fez questão de adaptar a festa para que Clara participasse.
“Procurar uma escola para o filho é tarefa difícil. Procurar uma escola para o filho que anda em uma cadeira de rodas é tarefa mais do que difícil. Quando falamos de adaptação/inclusão não estamos só falando de rampas ou abraços no coleguinha. Estamos falando de sensibilidade, delicadeza, amizade, carinho, estudo, profissionalismo. E foi tudo isso que achamos para a Clara”, explicou Júlia.
Crianças com deficiência são, antes de tudo, crianças. Sendo assim, possuem todos os direitos, assim como as outras.
E como nós estamos ajudando ou atrapalhando nossas crianças de exercerem esse direito básico?

(Via RPA. Fotos: Reprodução/Instagram)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil* O corpo do jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na próxima terça-feira (9), no Memorial do Carmo, segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), respeitando o desejo do imortal. Cony morreu ontem (6), aos 91 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos após dez dias de internação. Segundo a ABL, como a morte ocorreu em um fim de semana, procedimentos jurídicos e administrativos terão que ser resolvidos nesta segunda-feira (8). Após a cremação, suas cinzas devem ser lançadas em um local que remete a sua infância. Também a pedido do jornalista, seu corpo não foi velado na sede da academia. A amiga e também jornalista Rosa Canha disse que Cony desejava uma cerimônia íntima. "Ele não queria velório, não queria missas nem nenhum tipo de homenagens. Ele pediu muito que fosse uma cerimônia apenas para a família".  Saiba MaisTemer lamenta morte do jornalista Carlos Heitor Cony Carlos Heitor Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926.…

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …