Pular para o conteúdo principal

Festival traz escritores para debater a literatura contemporânea

Festival traz escritores para debater a literatura contemporânea
Verônica Stigger (Foto: Divulgação)
O Litercultura – Festival Literário de Curitiba começa nesta segunda-feira (6/8), na Capela Santa Maria. Este ano o festival chega à sexta edição com o tema “Literatura: lugar de escuta”. Com direção-geral de Manoela Leão e curadoria de Manuel da Costa Pinto, o Litercultura será feito até sexta-feira, dia 10 de agosto.
O festival traz uma jornada de cinco apresentações, sempre a partir das 19h30, com a presença de um autor convidado e um mediador. São eles: Veronica Stigger (mediação de Josiane Orvatich); Cristovão Tezza (mediação de Christian Schwartz), Ana Maria Gonçalves (mediação de Benedito Costa), João Silvério Trevisan (mediação de Yuri Al'Hanati) e Noemi Jaffe (mediação de Luís Henrique Pellanda).
O Litercultura é um evento gratuito. Os ingressos antecipados já podem ser retirados das 9h às 12h e 14h às 17h30, na Capela Santa Maria. O evento limita a retirada de um par de ingressos por sessão.
A cada noite, um autor discutirá o tema a partir de seu lugar de fala (como figura pública) e de sua condição de leitor, os livros que os marcaram e dos autores que ajudaram a moldar sua própria voz. “A literatura – espaço público mediado pela imaginação – talvez seja o lugar de escuta ideal para ampliar e amplificar os efeitos do lugar de fala”, diz o crítico literário Manuel da Costa Pinto, que pela terceira vez responde pela curadoria do Litercultura.
Formato
Sempre com o compromisso de abordar os temas contemporâneos, provocando a reflexão e a participação do espectador, o Litercultura 2018 segue o formato de explanação do autor durante 40 minutos, quando ele aborda o tema a partir de sua trajetória literária, seguida de debate de 30 minutos com o mediador e público. “Há um público de literatura local que está amadurecendo junto com o Litercultura. Nesses seis anos, fizemos questão de trazer assuntos relevantes com os melhores interlocutores. Não será diferente desta vez”, afirma Manoela Leão.
Este ano, o evento recebe apoio do Itaú Cultural, patrocínio do Colégio Medianeira, copatrocínio da Marcelo Almeida Cultura, apoio institucional Esc - Escola de Escrita, Instituto Curitiba de Arte e Cultura, Fundação Cultural de Curitiba e Prefeitura de Curitiba.
Programação paralela
Em parceria com a Esc – Escola de Escrita, o Litercultura 2018 oferece curso de formação literária com Christian Schwartz, jornalista e tradutor, tendo vertido para o português brasileiro autores como Jonathan Coe, Nick Hornby, Hanif Kureishi, Graham Greene, Mary Shelley, Philip Pullman, Jeffrey Eugenides, F. Scott Fitzgerald e Nathaniel Hawthorne, entre outros.
Com o tema “Que futuro pode ter a ficção literária no mundo da pós-verdade?”, o curso procura mostrar, com farta ilustração, debates e análises de autores contemporâneos, particularmente brasileiros.
O curso será dividido em nove segundas-feiras (27/8; 3/09; 10/09; 17/09; 24/09; 1/10; 8/10; 15/10; 22/10, (das 19h às 21h).
A inscrição pode ser feita por meio do link www.escoladeescrita.com.br/curso/formacao-de-leitores-litercultura-2018/ ou pelos fones: (41) 3114-7100 | (41) 99711-7100.
PROGRAMAÇÃO
6/8: Veronica Stigger – mediação de Josiane Orvatich
7/8: Cristovão Tezza – mediação de Christian Schwartz
8/8: Ana Maria Gonçalves – mediação de Benedito Costa
9/8: João Silvério Trevisan – mediação de Yuri Al'Hanati
10/8: Noemi Jaffe – mediação de Luís Henrique Pellanda
Serviço:
Litercultura – Festival Literário de Curitiba 2018
Datas: de 6 a 10 de agosto
Horário: 19h30

Local: Capela Santa Maria 
Endereço: R. Conselheiro Laurindo, 273 Centro - Curitiba - PR

*Os ingressos são gratuitos com retirada antecipada na bilheteria da Capela Santa Maria. Caso os ingressos antecipados se esgotem, a entrada estará sujeita a lotação da sala.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…