Pular para o conteúdo principal

Festival traz escritores para debater a literatura contemporânea

Festival traz escritores para debater a literatura contemporânea
Verônica Stigger (Foto: Divulgação)
O Litercultura – Festival Literário de Curitiba começa nesta segunda-feira (6/8), na Capela Santa Maria. Este ano o festival chega à sexta edição com o tema “Literatura: lugar de escuta”. Com direção-geral de Manoela Leão e curadoria de Manuel da Costa Pinto, o Litercultura será feito até sexta-feira, dia 10 de agosto.
O festival traz uma jornada de cinco apresentações, sempre a partir das 19h30, com a presença de um autor convidado e um mediador. São eles: Veronica Stigger (mediação de Josiane Orvatich); Cristovão Tezza (mediação de Christian Schwartz), Ana Maria Gonçalves (mediação de Benedito Costa), João Silvério Trevisan (mediação de Yuri Al'Hanati) e Noemi Jaffe (mediação de Luís Henrique Pellanda).
O Litercultura é um evento gratuito. Os ingressos antecipados já podem ser retirados das 9h às 12h e 14h às 17h30, na Capela Santa Maria. O evento limita a retirada de um par de ingressos por sessão.
A cada noite, um autor discutirá o tema a partir de seu lugar de fala (como figura pública) e de sua condição de leitor, os livros que os marcaram e dos autores que ajudaram a moldar sua própria voz. “A literatura – espaço público mediado pela imaginação – talvez seja o lugar de escuta ideal para ampliar e amplificar os efeitos do lugar de fala”, diz o crítico literário Manuel da Costa Pinto, que pela terceira vez responde pela curadoria do Litercultura.
Formato
Sempre com o compromisso de abordar os temas contemporâneos, provocando a reflexão e a participação do espectador, o Litercultura 2018 segue o formato de explanação do autor durante 40 minutos, quando ele aborda o tema a partir de sua trajetória literária, seguida de debate de 30 minutos com o mediador e público. “Há um público de literatura local que está amadurecendo junto com o Litercultura. Nesses seis anos, fizemos questão de trazer assuntos relevantes com os melhores interlocutores. Não será diferente desta vez”, afirma Manoela Leão.
Este ano, o evento recebe apoio do Itaú Cultural, patrocínio do Colégio Medianeira, copatrocínio da Marcelo Almeida Cultura, apoio institucional Esc - Escola de Escrita, Instituto Curitiba de Arte e Cultura, Fundação Cultural de Curitiba e Prefeitura de Curitiba.
Programação paralela
Em parceria com a Esc – Escola de Escrita, o Litercultura 2018 oferece curso de formação literária com Christian Schwartz, jornalista e tradutor, tendo vertido para o português brasileiro autores como Jonathan Coe, Nick Hornby, Hanif Kureishi, Graham Greene, Mary Shelley, Philip Pullman, Jeffrey Eugenides, F. Scott Fitzgerald e Nathaniel Hawthorne, entre outros.
Com o tema “Que futuro pode ter a ficção literária no mundo da pós-verdade?”, o curso procura mostrar, com farta ilustração, debates e análises de autores contemporâneos, particularmente brasileiros.
O curso será dividido em nove segundas-feiras (27/8; 3/09; 10/09; 17/09; 24/09; 1/10; 8/10; 15/10; 22/10, (das 19h às 21h).
A inscrição pode ser feita por meio do link www.escoladeescrita.com.br/curso/formacao-de-leitores-litercultura-2018/ ou pelos fones: (41) 3114-7100 | (41) 99711-7100.
PROGRAMAÇÃO
6/8: Veronica Stigger – mediação de Josiane Orvatich
7/8: Cristovão Tezza – mediação de Christian Schwartz
8/8: Ana Maria Gonçalves – mediação de Benedito Costa
9/8: João Silvério Trevisan – mediação de Yuri Al'Hanati
10/8: Noemi Jaffe – mediação de Luís Henrique Pellanda
Serviço:
Litercultura – Festival Literário de Curitiba 2018
Datas: de 6 a 10 de agosto
Horário: 19h30

Local: Capela Santa Maria 
Endereço: R. Conselheiro Laurindo, 273 Centro - Curitiba - PR

*Os ingressos são gratuitos com retirada antecipada na bilheteria da Capela Santa Maria. Caso os ingressos antecipados se esgotem, a entrada estará sujeita a lotação da sala.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil* O corpo do jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na próxima terça-feira (9), no Memorial do Carmo, segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), respeitando o desejo do imortal. Cony morreu ontem (6), aos 91 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos após dez dias de internação. Segundo a ABL, como a morte ocorreu em um fim de semana, procedimentos jurídicos e administrativos terão que ser resolvidos nesta segunda-feira (8). Após a cremação, suas cinzas devem ser lançadas em um local que remete a sua infância. Também a pedido do jornalista, seu corpo não foi velado na sede da academia. A amiga e também jornalista Rosa Canha disse que Cony desejava uma cerimônia íntima. "Ele não queria velório, não queria missas nem nenhum tipo de homenagens. Ele pediu muito que fosse uma cerimônia apenas para a família".  Saiba MaisTemer lamenta morte do jornalista Carlos Heitor Cony Carlos Heitor Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926.…

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …