Pular para o conteúdo principal

Livro reúne 54 poemas criados pela autora paulistana Tatti Munuera

por Mylena Gadelha - Repórter
Quinze anos guardando poemas e poesias de modo despretensioso resultaram em um livro com as emoções de anos de vivências pessoais. Lançado na última semana pela editora Livrus, "Poemas, Poesias e Amores", da autora Tatti Munuera, traz 54 poemas e nove fotografias de experiências pessoais da paulistana.
A autora conta que o material desenvolvido, que havia sido escrito despretensiosamente de início, começou a ser organizado para publicação há cerca de dois anos.
Sem intenção
E desse ato despretensioso surgiram impressões nas quais cabiam muito sentimento. Assim, foram surgindo as primeiras linhas.
"Meus poemas são, a grosso modo, impressões pessoais sobre acontecimentos da vida, situações que, de algum maneira, me tocam emocionalmente e acabaram ganhando corpo. São minhas emoções postas no papel", comenta ela.
Além disso, a escritora explica que tudo aconteceu de forma fluida e todo o trabalho foi surgindo de acordo com a própria intuição. "Trata-se de um fluxo de pensamento, de consciência, sabe", explica.
Infância
E Tatti não perde tempo ao falar do porque da escolha pela poesia. Ela conta que sempre ficou encantada com a possibilidade de dizer tanto em textos compactos. Além disso, ela acredita no potencial da poesia de gerar reações diferenciadas.
Mas para além da escolha pela poesia, ela revela que o processo de escrita sempre esteve latente, mesmo quando ainda era uma menina.
"Desde muito nova fui incentivada à leitura por meus pais e isso, de alguma maneira, é a base de minha formação como escritora", diz, ressaltando a importância dos professores que teve ao longo da sua formação escolar. E não são só os poemas que compõem e fazem a graça do livro. Segundo Tatti, as imagens também são muito importantes para entrar na alma da obra.
"As fotografias foram tiradas em inúmeras viagens, mas, em especial, no Caminho de Santiago, rota de peregrinação na Espanha, realizada por mim no ano passado", destaca a autora.
Interesse
Mesmo sendo um dos gêneros literários que é mais conhecido por retratar as emoções, ainda existe muita gente que não se sente familiarizado com as poesias.
Tatti afirma que tudo é uma questão de se acostumar e saber apreciar o que os poemas têm a dizer. Segundo ela, como é um gênero mais livre, a poesia permite leituras diferentes de acordo com cada pessoa. "A poesia permite ampla reflexão e não aborrece, até mesmo porque não precisa ser lida sequencialmente e de uma só vez", diz.
Projetos
Depois de tanto tempo no processo de escrita, ela diz que não vai parar por aí. Agora, a aposta, além de um novo livro de poesias, deve ser em uma forma de escrita distinta. "Tenho um romance em andamento! E já estou no terceiro capítulo. E há um projeto em parceria com pessoa da área da psicologia também".
Enquanto isso, os poemas do livro da autora falam de amor, vida e de coisas que tocam os sentimentos mais profundos que o coração pode abrigar.
INFO
Diário do Nordeste

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil* O corpo do jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na próxima terça-feira (9), no Memorial do Carmo, segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), respeitando o desejo do imortal. Cony morreu ontem (6), aos 91 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos após dez dias de internação. Segundo a ABL, como a morte ocorreu em um fim de semana, procedimentos jurídicos e administrativos terão que ser resolvidos nesta segunda-feira (8). Após a cremação, suas cinzas devem ser lançadas em um local que remete a sua infância. Também a pedido do jornalista, seu corpo não foi velado na sede da academia. A amiga e também jornalista Rosa Canha disse que Cony desejava uma cerimônia íntima. "Ele não queria velório, não queria missas nem nenhum tipo de homenagens. Ele pediu muito que fosse uma cerimônia apenas para a família".  Saiba MaisTemer lamenta morte do jornalista Carlos Heitor Cony Carlos Heitor Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926.…

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …