Livro sobre Mutantes traz trajetória musical da banda

por Fabiana Schiavon - Folhapress
Image-0-Artigo-2445325-1
Sério Dias, Rita Lee e Arnaldo Baptista, em 1971, em show na Serra da Cantareira: novo livro de Chris Fuscaldo repassa a discografia d'Os Mutantes, contemplando dos clássicos da banda até os álbuns solo de seus integrantes ( Foto: LEILA LISBOA )
Há 50 anos, os Mutantes lançavam o seu primeiro álbum. Para celebrar o aniversário, a trajetória musical da banda é dissecada no livro "Discobiografia Mutante: Álbuns que Revolucionaram a Música Brasileira" (R$ 70, 243 páginas), da pesquisadora Chris Fuscaldo.
A obra repassa a discografia da banda até os mais recentes álbuns solo de seus integrantes. Além das capas e de dados técnicos, o livro detalha a identidade de cada LP dentro do contexto de época, com dados inéditos.
Pesquisa
Ao longo da trajetória dos Mutantes, discos, letras e músicas ficaram perdidos e foram resgatados, não sem árduo trabalho. "Encontrei a letra original de uma das músicas censuradas do disco de 1972 porque falava sobre um prostíbulo", conta a jornalista Chris Fuscaldo, sobre "A Casa da Monica". "Mas a história mais inacreditável é do álbum 'Tecnicolor', gravado em 1970, em Paris", situa a autora.
"Na época, o disco foi abandonado pelo produtor. Quando Carlos Calado fez a biografia da banda, ele tentou fazer o relançamento, mas perdeu a briga", completa Chris Fuscaldo, citando o livro "A Divina Comédia dos Mutantes", de Calado. Resumindo a história, a autora conta que o disco passou por mais diversas mãos até ser lançado em 2000.
Durante seus anos de pesquisa, Chris conta que tentou completar a coleção de LPs dos Mutantes, lançada em CD no fim dos anos 1990. "E foram feitas poucas cópias, que se esgotaram".
Descoberta
A autora diz que convive com música desde criança, por influência dos pais. Ouvindo rock e MPB, um dia se encantou pelos Mutantes.
"Quando o inglês David Byrne, fundador dos Talking Heads, descobriu a música brasileira, tirou o Tom Zé e os Mutantes da obscuridade. Em 1999, lançou uma coletânea dos Mutantes, e um amigo me deu uma cópia", conta.
"Descobri coisas novas e me apaixonei, já que eles são a síntese do que eu mais gosto: a mistura de rock e música brasileira", completa.
Diário do Nordeste

Comentários

Mais Visitadas

Há 50 anos, primeira mulher negra era eleita ao Congresso nos EUA

O Irmão Carlos de Foucauld

Escreve Pe. Jocy - Dom Delgado

MASP completa 50 anos de histórias

Cearense Mailson Furtado ganha o Prêmio Jabuti de livro do Ano