Matemáticos descobrem quem compôs 'In My Life', dos Beatles, usando estatística

Matemáticos de Harvard e Dalhousie, chegaram a uma resposta por meio de estatísticas, após observarem a frequência de termos usados por cada membro da banda.


Opinião de Devlin faz sentido ao se observar a contradição entre os dois músicos.

Opinião de Devlin faz sentido ao se observar a contradição entre os dois músicos. (Arquivo)
Até hoje não se sabe ao certo quem escreveu a canção In My Life, lançada pelos Beatles em 1965. No entanto, os matemáticos Mark Glickman e Ryan Song, da Universidade de Harvard, e Jason Brown, de Dalhousie, chegaram a uma resposta por meio de estatísticas.

O trio participou da conferência Joint Statistical Meetings, no Canadá, e apresentou o modelo Sacola de Palavras, que reúne os vocábulos de um texto sem considerar a ordem deles e a gramática. A partir dele, os pesquisadores observaram a frequência de termos usados por cada membro da banda e concluíram que a música foi escrita por John Lennon.

O matemático Keith Devlin, da Universidade de Stanford, explicou à rádio norte-americana NPR que os pesquisadores analisaram 70 melodias de Lennon e Paul McCartney, e descobriram que havia 149 transições diferentes entre notas e acordes presentes em quase todas as músicas dos Beatles. Cada uma era exclusiva de um dos dois.

"A probabilidade de McCartney ter escrito In My Life é de 0.018% - isso é essencialmente zero. É melhor acreditar na matemática em situações assim, pois é muito mais confiável do que as lembranças das pessoas", afirma. "Especialmente porque eles colaboraram escrevendo nos anos 1960 com um estado mental completamente alterado devido a todas as coisas que estavam ingerindo", completa.

A opinião de Devlin faz sentido ao se observar a contradição entre os dois músicos. John Lennon disse à revista Playboy, em 1980, que ele compôs a canção. "In My Life começou como uma viagem de ônibus partindo da minha casa. Eu mencionei todos os lugares que lembrava e foi chato. Então eu larguei mão disso e a letra começou a ser sobre amigos e amores do passado. Paul ajudou com o meia-oito [ponte musical]", recordou o vocalista.

Quatro anos depois, McCartney contou à mesma revista que deu ritmo à canção. "John esqueceu ou não achou que eu escrevi a música. Ele tinha um poema sobre rostos dos quais ele se lembrava. Recordo-me que eu saí por meia hora e sentei com um Mellotron [teclado] que ele tinha, fazendo a melodia", explicou.


Agência Estado

Comentários

Mais Visitadas

José, servo bom e fiel

Câmara homenageia mulheres que se destacaram na luta por direitos

Nossos escritores

Físico brasileiro recebe Prêmio Templeton de 2019

Inep cria comissão para decidir itens que farão parte do Enem 2019