Poema e luz

Paulo Eduardo Mendes*

Ler um livro e acionar o interruptor para acender as luzes do salão das poesias. Aproveitar o "Poema-Luz" de Angélica Sampaio a fim de tecer considerações ressaltando o valor literário da poesia. De logo vamos colocar poema e luz nessa abordagem em favor do lirismo. "Poema-Luz" tem o lastro luminoso da energia criativa de uma poeta nobre: Angélica Sampaio. Autora integrante de várias agremiações literárias escreve o seu "Poema-Luz" de forma bem estruturada. Faz versos em pausa de respiração cadenciada. Rima na sonorização do texto. Moldura bem colocada na distribuição do vocabulário leve de quem ama o vernáculo, sem afetação. Simplicidade a toda prova. Belíssima forma de declamar levezas destacando o amor na sua dimensão pura. "Poema-Luz" trazendo o academicismo da Amlef (Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza) para a evidência que Angélica Sampaio tão bem representa nos meios intelectuais do Ceará, conforme destaque de Grecianny Carvalho Cordeiro, também da Amlef, no bem colocado prefácio do novo livro dessa poetisa de primeira linha. Vibramos com a boa poesia e situamos poema e luz como forma de acionar o interruptor do interesse dos leitores de jornal para os momentos de ternura que uma boa leitura proporciona. Poesia.

"Poema-Luz" faz luzir um candelabro de muitas luzes. A dimensão do amor traz as "incertezas/certezas" de Angélica, dentro do padrão de sublinhar o belo no vocabulário das mentes sadias na busca da "felicidade" ao alcance de todos. Autora e professora no mister de semear "saudade", no campo de "paixão ou amor" dessas "delícias" do poetar próprio de quem tem alma.

*Jornalista

Comentários

Mais Visitadas

As dores da humanidade

Tudo começa com o caderno de caligrafia

Missão da Unesco faz primeira visita ao Museu Nacional

Livro aborda a memória crítica da escravidão

Bancário faz sua estreia como escritor