Livro de educação sexual criticado por Bolsonaro volta às livrarias

Em sabatina no Jornal Nacional, Jair Bolsonaro relacionou 'Aparelho Sexual e Cia' ao 'kit gay'.
Exposição do livro
Exposição do livro "Zizi Sexuel" em 2014 em Paris. (AFP)

"O guia sexual de Titeuf", com um personagem cômico muito conhecido na França, voltará às livrarias na quarta-feira no Brasil, onde ganhou notoriedade depois que o candidato de direita Jair Bolsonaro o acusou de promover a homossexualidade entre as crianças.
Com o título no Brasil de "Aparelho sexual e Cia", a obra da francesa Helene Bruller com desenhos do suíço Zep terá uma nova edição de cerca de 3 mil exemplares, informou um porta-voz da Editora Seguinte, um selo destinado aos jovens da Companhia das Letras.
Bolsonaro, que é acusado por seus detratores de ser homofóbico, mostrou uma cópia do livro durante uma entrevista na TV Globo, acusando-a de fazer parte de um "kit gay" distribuído em escolas públicas do Brasil.
A editora rapidamente respondeu que "Aparelho sexual e Cia" não foi comprado pelo Ministério da Educação para fins pedagógicos, e sim pelo Ministério da Cultura, para consulta em bibliotecas.
A Companhia das Letras destaca que a história em quadrinhos, publicada pela primeira vez no Brasil em 2007, aborda "todos os aspectos da sexualidade, com sólida base pedagógica e grande rigor científico".

AFP

Comentários

Mais Visitadas

O Irmão Carlos de Foucauld

Há 50 anos, primeira mulher negra era eleita ao Congresso nos EUA

Memorial do Holocausto lembra 80 anos da Noite dos Cristais em SP

MASP completa 50 anos de histórias

Escreve Pe. Jocy - Dom Delgado