Livro marca os 20 anos do Laboratório de Psicanálise/UFC

14.09.2018
Image-0-Artigo-2452742-1
Os autores Natália Pereira Travassos e Marco Antonio Coutinho Jorge: pesquisa aborda a destransição
Image-1-Artigo-2452742-1
Derivado do trabalho de conclusão de curso da psicanalista Natália Pereira Travassos - estendido ao programa de mestrado em Psicanálise da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e sob orientação de Marco Antonio Coutinho Jorge - o livro "Transexualidade: o Corpo Entre o Sujeito e a Ciência" chega às prateleiras.
Publicada em julho deste ano pela editora Zahar, a obra ganha uma noite de lançamento em Fortaleza hoje (14), às 19h, no Ideal Clube. O evento acontece durante as comemorações dos 20 anos do Laboratório de Psicanálise da Universidade Federal do Ceará (UFC), dentro do XVII Encontro de Psicanálise da UFC.
Na ocasião, os autores estarão presentes para uma noite de autógrafos e realizarão um bate-papo, às 17h45, com o tema: "Intervenções sobre a Transexualidade: o corpo entre o sujeito e a ciência".
Marco Antonio, que divide a autoria do livro com Natália Travassos, é professor da Uerj e diretor do Corpo Freudiano Escola de Psicanálise do Rio de Janeiro, do qual ela também é membro.
Voluntária no Grupo Arco-Íris de cidadania LGBT do Rio de Janeiro, Natália parte de um "questionamento sobre a visão que a psicanálise tinha para a transexualidade. A pesquisa surge da vivência na minha clínica e dentro do Arco-Íris. Na verdade, foi dentro do grupo que toda a minha pesquisa começou", lembra a autora.
Trajetória
A transexualidade é um fenômeno relativamente novo, tendo recebido essa nomenclatura em 1953, logo após a realização da primeira intervenção hormoniocirúrgica com sucesso, no ano anterior.
Já o estudo da transexualidade pela perspectiva da psicanálise teve início entre o fim da década de 1960 e começo dos anos 1970, a partir das pesquisas do psicanalista norte-americano Robert Stoller (1924-1981). Dentro das investigações da psicanálise há três estruturas que abrigam as temáticas: psicose, neurose e perversão.
"A transexualidade se encontrava na psicose e vemos que todas as manifestações da sexualidade acontecem em todas essas estruturas. Daí partiu o meu questionamento, de trazer a transexulidade nessas três vertentes", pontua Natália Travassos.
A introdução do livro ressalta o crescimento do número de serviços especializados a transexuais e travestis, devido ao processo transexualizador instituído em 2008 para o Sistema Único de Saúde.
Mesmo sendo recente, a discussão sobre transgênero no Brasil e em países como Estados Unidos já está em outro patamar: os autores abordam uma temática considerada polêmica pelos movimentos LGBTs, a destransição - processo de reverter o processo de transição.
Contraponto
"A discussão em torno da transexualidade tem crescido bastante, mas tem um outro lado, que nos preocupa e que resolvemos analisar. Temos visto algumas escolas psicanalísticas e alguns profissionais trabalharem na via que acabam trazendo certa banalização do tema. As alterações são irreversíveis. A transição não é para todos", pontua a profissional.
A preocupação em tematizar e aprofundar a questão vem do crescimento de tratamentos iniciados ainda no estágio pré-púbere. "Transexualidade: o Corpo Entre o Sujeito e a Ciência" repercute também o papel do capitalismo no aumento do número de cirurgias.
"Há toda uma aliança entre o capitalismo e a indústria farmacêutica, que de uma certa forma fomenta uma resposta rápida, uma solução mais rápida para essas questões", critica Travassos.
Por isso é "necessário existir diálogo. Não adianta não falar sobre o assunto destransição, tem gente sofrendo por causa da transição e um discurso não invalida o outro", conclui.
No entanto, logo na introdução do livro, há um aviso fundamental para os leitores: "diante da vulnerabilidade dessa população, enfatizamos que nossa postura em relação à transexualidade e à transgeneridade, e às suas variadas expressões, é de enorme cuidado e absoluto respeito. Não legitimamos nenhuma forma de patologização de qualquer orientação sexual ou identidade de gênero".
Fique por dentro
20 anos do Laboratório de Psicanálise
A segunda parte do XVII Encontro de Psicanálise da UFC, que comemora os 20 anos de existência do Laboratório de Psicanálise da UFC, acontece nesta sexta (14) e sábado (15). O evento conta com apoio do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da UFC, do Corpo Freudiano Escola de Psicanálise e do Ideal Clube, que recebe o evento durante os dois dias. A primeira parte das comemorações do Laboratório, fundado em 1998, aconteceu em agosto (13 a 15), deste ano. Com programação marcada para iniciar hoje (14) - a mesa de abertura lembra as duas décadas do Laboratório -, o evento se encerra no domingo (15), às 11h, com a entrega de declaração de participação. As vagas são limitadas, mas enquanto estiverem disponíveis serão aceitas inscrições. Além do livro "Transexualidade: o Corpo Entre o Sujeito e a Ciência", será lançada também a obra "A Céu Aberto: o Inconsciente na Clínica das Psicoses", organizado por Silvia Maria de Souza Levy e Maria Filomena Pinheiro Dias.
Mais informações:
Lançamento do livro "Transexualidade. O corpo entre o sujeito e a Ciência". Nesta sexta-feira (14), às 19h. No Ideal Clube - Salão Humerto Cavalcante (Av. Monsenhor Tabosa, 1381 - Praia de Iracema - Entrada pela Av. Rui Barbosa). Gratuito. Contato: (85) 3366.7727
foto
Diário do Nordeste

Comentários

Mais Visitadas

Há 50 anos, primeira mulher negra era eleita ao Congresso nos EUA

O Irmão Carlos de Foucauld

MASP completa 50 anos de histórias

Escreve Pe. Jocy - Dom Delgado

Memorial do Holocausto lembra 80 anos da Noite dos Cristais em SP