O PODER DA PALAVRA

Carlos Delano Rebouças*


A palavra tem poder! Frase exclamativa que, apesar de assim construída, deixa no ar uma interrogação sobre sua colocação: A palavra tem poder?


O homem possui condições físicas e mentais de se comunicar, como parte de sua natureza. Desenvolve esta condição a fim de estabelecer relações, sobretudo, para estreitá-las com vistas a algum objetivo. Por meio da comunicação, desenvolve-se como orador e apresenta-se para uma sociedade que espera conhecê-lo. Mostra a sua cara e sua capacidade. Mostra a sua verdade.

Algumas pessoas sentem uma dificuldade maior para organizar as ideias, apresentando-as, principalmente, na fala, e bem menos na escrita. Por vezes, percebe-se o contrário, levando muitos grandes oradores a péssimas performances na escrita.

Falar bem pode ser visto como um dom – o tão desejado dom da oratória –, mas que também é defendido como o resultado de exercícios intensos e ininterruptos. É uma atividade que permite driblar dificuldades quanto à articulação da palavra e ao nervosismo, em prol da conquista dos objetivos traçados.

Contudo, não podemos esquecer, em momento algum, que o conhecimento da norma culta da língua se faz necessário, mesmo que sumárias sejam nossas palavras na hora de usá-las para persuadir.

*Professor de Língua Portuguesa e redação, conteudista, palestrante e facilitador de cursos e treinamentos, especialista em educação inclusiva e revisor de textos.

Comentários

Mais Visitadas

As dores da humanidade

Intolerância: arma dos preconceituosos

Começa em todo o país a 12ª Primavera dos Museus

14 etnias não têm seu idioma original preservado no Estado do Ceará

Adjetivando a vida