O PODER DA PALAVRA

Carlos Delano Rebouças*


A palavra tem poder! Frase exclamativa que, apesar de assim construída, deixa no ar uma interrogação sobre sua colocação: A palavra tem poder?


O homem possui condições físicas e mentais de se comunicar, como parte de sua natureza. Desenvolve esta condição a fim de estabelecer relações, sobretudo, para estreitá-las com vistas a algum objetivo. Por meio da comunicação, desenvolve-se como orador e apresenta-se para uma sociedade que espera conhecê-lo. Mostra a sua cara e sua capacidade. Mostra a sua verdade.

Algumas pessoas sentem uma dificuldade maior para organizar as ideias, apresentando-as, principalmente, na fala, e bem menos na escrita. Por vezes, percebe-se o contrário, levando muitos grandes oradores a péssimas performances na escrita.

Falar bem pode ser visto como um dom – o tão desejado dom da oratória –, mas que também é defendido como o resultado de exercícios intensos e ininterruptos. É uma atividade que permite driblar dificuldades quanto à articulação da palavra e ao nervosismo, em prol da conquista dos objetivos traçados.

Contudo, não podemos esquecer, em momento algum, que o conhecimento da norma culta da língua se faz necessário, mesmo que sumárias sejam nossas palavras na hora de usá-las para persuadir.

*Professor de Língua Portuguesa e redação, conteudista, palestrante e facilitador de cursos e treinamentos, especialista em educação inclusiva e revisor de textos.

Comentários

Mais Visitadas

O Irmão Carlos de Foucauld

Há 50 anos, primeira mulher negra era eleita ao Congresso nos EUA

Memorial do Holocausto lembra 80 anos da Noite dos Cristais em SP

MASP completa 50 anos de histórias

Escreve Pe. Jocy - Dom Delgado