Sai nesta terça filme indicado pelo País para disputar vaga no Oscar

Último filme selecionado para concorrer foi Central do Brasil, de Walter Salles, em 1999.
O Grande Circo Místico, de Cacá Diegues
O Grande Circo Místico, de Cacá Diegues (Reprodução)

Reúne-se nesta terça-feira, 11, na sede da Cinemateca Brasileira em São Paulo, a comissão nomeada pelo MinC para escolher o filme indicado pelo Brasil para concorrer a uma vaga no próximo Oscar. Inscreveram-se 22 produções. O anúncio será feito às 12h30. Tem sido um longo jejum brasileiro na festa da Academia de Hollywood. O último filme selecionado para concorrer foi Central do Brasil, de Walter Salles, em 1999. Em 2006, O Ano em Que Meus Pais Saíram de Férias, de Cao Hamburger, foi pré-indicado na listas de nove, mas não ficou entre os cinco finalistas. A última indicação não ocorreu na categorias de filme estrangeiro, mas na de melhor animação - O Menino e o Mundo, de Alê Abreu, em 2016.

Todo ano surgem as mesmas dúvidas - o que seria o concorrente ideal do Brasil no Oscar? Talvez o grande equívoco das comissões que indicam o concorrente brasileiro seja tentar pensar com a cabeça da Academia. O Oscar de filme estrangeiro é dos que mais ousam - e surpreendem. Mesmo assim, ocorrem coisas como o caso Cidade de Deus. Ignorado no Oscar de filme estrangeiro de 2003, o longa de Fernando Meirelles cravou quatro indicações no ano seguinte, incluindo direção, roteiro, montagem e fotografia. Outras vezes em que o Brasil esteve pertinho do Oscar - em 2012, Carlinhos Brown concorreu a melhor canção, por Rio; em 2015, O Sal da Terra, codirigido por Juliano Salgado, filho do fotógrafo Sebastião Salgado - personagem principal -, foi indicado para melhor documentário.

Em 1986, William Hurt foi melhor ator por O Beijo da Mulher Aranha, coprodução dirigida (em São Paulo) por Hector Babenco. Em 2005, o uruguaio Jorge Drexler venceu o Oscar de canção por Al Otro Lado del Rio, tema do filme Diários de Motocicleta, de Walter Salles. Entre os filmes que disputam a indicação deste ano, destacam-se duas ótimas produções de gênero - O Animal Cordial, terror de Gabriela Amaral Almeida, e As Boas Maneiras, outro terror, da dupla Marco Dutra/Juliana Rojas. Ferrugem, de Aly Muritiba, já foi aprovado por uma plateia dos EUA, a de Sundance. Juventude, redes sociais, tudo isso pode somar. O veterano Cacá Diegues está na disputa por Grande Circo Místico. E há o belíssimo Benzinho, de Gustavo Pizzi. E o indicado do Brasil será...?

OS 22 CONCORRENTES

- Além do Homem, de Willy Biondani

- Alguma Coisa Assim, de Esmir Filho e Mariana Bastos

- O Animal Cordial, de Gabriela Amaral Almeida

- Antes que Eu Me Esqueça, de Tiago Arakilian

- Aos Teus Olhos, de Carolina Jabor

- As Boas Maneiras, de Juliana Rojas e Marco Dutra

- Benzinho, de Gustavo Pizzi

- Canastra Suja, de Caio Soh

- Como É Cruel Viver Assim, de Julia Rezende

- Dedo na Ferida, de Silvio Tendler

- Encantados, de Tizuka Yamasaki

- Entre Irmãs, de Breno Silveira

- Ex-Pajé, de Luiz Bolognesi

- Ferrugem, de Aly Muritiba

- Não Devore Meu Coração!, de Filipe Bragança

- O Caso do Homem Errado, de Camila de Moraes

- O Desmonte do Monte, de Sinai Sganzerla

- O Grande Circo Místico, de Cacá Diegues

- Paraíso Perdido, de Monique Gardenberg

- Talvez uma História de Amor, de Rodrigo Bernardo

- Unicórnio, de Eduardo Nunes

- Yonlu, de Hique Montanari

Agência Estado

Comentários

Mais Visitadas

O Irmão Carlos de Foucauld

Há 50 anos, primeira mulher negra era eleita ao Congresso nos EUA

MASP completa 50 anos de histórias

Memorial do Holocausto lembra 80 anos da Noite dos Cristais em SP

Escreve Pe. Jocy - Dom Delgado